São Paulo bate o Vasco e deixa a zona de rebaixamento

Com o triunfo, time tricolor é o 15.º colocado, enquanto os cariocas estão no 17.º lugar

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

15 de setembro de 2013 | 17h52

RIO - Bastaram dois jogos com Muricy Ramalho no comando que o

O JOGO

Com a volta de Osvaldo, Muricy Ramalho trocou a formação com três zagueiros por uma escalação mais cerebral, com três meias: Jadson, Ganso e Maicon, este último mais recuado. No Vasco, Juninho começou como titular depois de ser poupado contra a Portuguesa. Logo no primeiro lance do jogo, os meias do São Paulo fizeram boa trama. Ganso rolou e Maicon chutou rasteiro. A bola passou raspando a trave esquerda de Diogo Silva. Do lado do Vasco, porém, Juninho Pernambucano era parado por Rodrigo Caio, que desta vez jogava como volante.

Marlone tinha mais espaço e, aos 22, fez bonita jogada. Chapelou o marcador, entrou na área em velocidade, mas chutou em cima de Rogério Ceni. As chances eram escassas, apesar de os dois times terem formações ofensivas. O placar do primeiro tempo caminhava para o 0 a 0 não fosse Rodrigo Caio. Aos 30, Jadson cobrou escanteio e o volante subiu alto, cabeceou bonito, e abriu o placar.

SEGUNDO TEMPO

A reação do Vasco só veio depois do intervalo, quando Reginaldo e Dakson entraram nos lugares de Abuda e Willie. Dakson teve a primeira boa chance, mas o cabeceio para o chão foi muito forte. A bola quicou e subiu por cima do travessão. No minuto seguinte, aos 3, foi a vez de Reginaldo finalizar sozinho na área, mas Rogério Ceni salvou com o pé.

O São Paulo, pressionado, jogava por um contra-ataque e desperdiçou dois deles por erros. O primeiro do árbitro, que marcou impedimento de Luis Fabiano mesmo sem o jogador ir na bola - o auxiliar levantou a bandeira depois ficou fazendo sinal de que era para "cancelar". Depois, na segunda chance, foi Luis Fabiano quem errou domínio, sozinho na área. O segundo gol, porém, sairia também de um erro. Do Vasco. Esse segunda contra-ataque frustrado acabou em escanteio. Jadson bateu, Rodrigo Caio desviou e Diogo Silva saiu de soco. Errou a tentativa e mandou a bola para trás. Melhor para Antônio Carlos, que estufou as redes do gol vazio.

O Vasco sentiu o baque e demorou a receber apoio da torcida para tentar reagir. Mesmo nos minutos finais nem chegou a ameaçar Rogério Ceni. O São Paulo, porém, quase fez o terceiro com Aloísio, em jogada individual.

FICHA TÉCNICA

VASCO 0 X 2 SÃO PAULO

VASCO - Diogo Silva; Fagner, Cris, Jomar e Yotún; Fellipe Soutto (Tenorio), Juninho Pernambucano, Marlone e Abuda (Dakson); Willie (Reginaldo) e André. Técnico - Dorival Júnior.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Tolói, Antônio Carlos e Reinaldo; Rodrigo Caio, Maicon, Paulo Henrique Ganso e Jadson (Fabrício); Osvaldo (Welliton) e Luis Fabiano (Aloísio). Técnico - Muricy Ramalho.

GOL - Rodrigo Caio, aos 30 minutos do segundo tempo; Antônio Carlos, aos 24 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Héber Roberto Lopes (Fifa/SC).

CARTÕES - Cris e Rafael Tolói.

RENDA - R$ 197.710,00.

PÚBLICO - 10.961 pagantes.

LOCAL - Estádio de São Januário, no Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCVascoBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.