São Paulo bate São Caetano por 4 a 3

O São Paulo conseguiu uma vitória dramática, nesta quarta-feira, em São Caetano, vencendo por 4 a 3 um time que teve um jogador a menos durante 23 minutos e que atuou com nove contra 11 praticamente o segundo tempo inteiro. Além disso, teve o técnico Zetti expulso aos 22 do primeiro tempo. Os três últimos gols do São Paulo foram marcados nos últimos sete minutos de jogo. A noite infeliz do São Paulo começou com uma falha ridícula de Rogério Ceni, que foi jogar com os pés e chutou a bola em Luiz Cláudio, que fez o primeiro gol, aos 4 minutos. "Dei azar e ele deu sorte", justificou Ceni.O São Paulo reagiu rapidamente e empatou aos 10 minutos. Júnior cobrou escanteio pela esquerda, Grafite desviou de cabeça e Diego Tardelli completou, fazendo seu sétimo gol no campeonato. O jogo era bom, com os dois times alternando-se nos ataques. Zetti mostrava-se muito nervoso e foi expulso por reclamação. Disse que o árbitro tinha medo de Leão. Quatro minutos depois, Triguinho foi expulso, após uma falta violenta em Cicinho. O São Paulo passou a dominar o jogo, mas permitia muitos contra-ataques.Aos 35, Anaílson encobriu Rogério Ceni e acertou o travessão. Aos 39, Mineiro conseguiu desarmar Luiz Cláudio e aos 41 minutos Anaílson não errou. Pela direita, livrou-se de Fabão e Edcarlos e fez um golaço, com efeito, tirando a bola de Rogério Ceni.O São Paulo voltou com Luizão em lugar de Edcarlos, tentando aproveitar-se da vantagem numérica e correndo o risco de mais contra-ataques. Eles não vieram porque Luiz Cláudio foi expulso aos 4 minutos, após falta em Júnior.Apesar de ter dois jogadores a mais, o São Paulo tinha uma única jogada de ataque: cruzamentos na área. Aos 8 minutos, Grafite cabeceou e Neto salvou em cima da linha. O São Paulo reclamou, dizendo que a bola havia entrado.Zé Luiz escapou de Josué e marcou o terceiro aos 16 minutos. O jogo parecia perdido, mas o São Paulo abandonou os cruzamentos e virou o jogo. Um chute de Marco Antonio, de fora da área, aos 39 minutos, transformou-se no segundo gol. Ele deu o passe para Grafite empatar, de bico, aos 43 minutos, e Josué marcou o da virada, aos 47 minutos. Três pontos que não serão esquecidos. Foram conquistados em um jogo inesquecível.

Agencia Estado,

09 de fevereiro de 2005 | 23h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.