São Paulo busca força em Extrema

O São Paulo, na reta final do Campeonato Paulista, está lembrando os antigos carros de Fórmula 1, que ?voavam? durante toda a corrida, mas paravam a alguns metros da chegada, por falta de gasolina. O excesso de jogos de Kaká resolveu prejudicar o atleta no momento mais importante do Estadual, assim como vem ocorrendo com o lateral-direito Leonardo, que suportava bem uma antiga dor no púbis até o primeiro jogo da decisão, quando desfalcou a equipe. A expectativa é que Leonardo jogue sábado, resolvendo assim um dos vários problemas do time. Contusões à parte, há quem acredite que o time peca pela falta de personalidade. Para o ex-jogador Casagrande, os são-paulinos estão sentindo a pressão de jogar a final e, por isso, não conseguem desenvolver o futebol apresentado no restante do campeonato. ?O Corinthians entrou em campo com a mesma garra de sempre, enquanto o São Paulo parece jogar sem confiança. Fica um pondo a culpa do erro no outro.? Casagrande, assim como o ex-goleiro da equipe, Zetti, acredita que a pressão externa pode estar prejudicando o grupo. Ambos acharam uma boa idéia a decisão da diretoria de levar o time para Extrema (MG). Saem nesta terça-feira e ficam até sexta, treinando longe das críticas da torcida e da imprensa. ?O Oswaldo de Oliveira (técnico) tem de aproveitar esses dias para conversar com os atletas e dar um puxão de orelhas neles. O time deu muito espaço para o Corinthians jogar?, disse Zetti. O diretor de Futebol Carlos Augusto de Barros e Silva garante que a viagem a Minas não é uma fuga. ?Lá (Extrema) é um lugar mais tranqüilo, onde o Oswaldo vai ter tempo e condições de corrigir os problemas da equipe?, justificou. Problemas? Que problemas? ?Nós temos que buscar o máximo do time. No último jogo, alguns atletas caíram muito de rendimento, e isso não pode mais acontecer?, afirmou, sem citar nomes. ?E eu não estou falando do Kaká?, apressou-se em dizer. Kaká, aliás, segundo o fisiologista do clube, Turíbio Leite de Barros, deve fazer um trabalho gradual de recuperação física nesta semana. Para Turíbio, as dores musculares nas pernas do jogador são resultado do excesso de partidas a que ele vem sendo submetido e a única forma de minimizar o problema é reduzir as atividades físicas do atleta. ?Mas ele tem de atuar no sábado, mesmo com dores. Final é hora de superação?, enfatizou. O fisiologista também é a favor do retiro. ?Sair desse ambiente de pressão externa e cobranças por todos os lados é o mais importante.? Leia-se por pressão externa a cobrança de alguns são-paulinos pela saída do técnico. Bastante contestado a cada derrota, Oswaldo voltou à mira da oposição após a partida de domingo. Segundo seus críticos, foi um desastre a improvisação de Júlio Baptista na lateral-direita. O presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, no entanto, garante que o técnico não será demitido mesmo com a perda do título (o time precisa vencer o Corinthians para ser campeão). ?Aqui, o regime é presidencialista e eu como presidente garanto que ele continua no cargo.? Mas há quem já pleiteie o cargo. Nesta segunda-feira, Vanderlei Luxemburgo, do Cruzeiro, disse em entrevista à Rádio Jovem Pan que seu sonho é treinar o São Paulo. Para a próxima partida, Oswaldo não vai poder contar com Gustavo Nery e Maldonado, suspensos com o terceiro amarelo. Devem entrar Régis e Leonardo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.