São Paulo busca vantagem na 1ª final

A decisão do Supercampeonato Paulista, uma competição inventada pelo presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Eduardo José Farah, entre São Paulo e Ituano, começa neste domingo, às 16 horas, em Itu. Os jogadores do time da capital consideram a conquista do desprestigiado torneio, como de vital importância, mas nem eles sabem avaliar o significado do que estariam ganhando. O que se vê é um show de justificativas desencontradas. E as alegações sobre os conhecimentos sobre os jogadores do rival, um verdadeiro concurso de piada. Só Basílio, que já atuou pelo Palmeiras é citado com precisão.O atacante Sandro Hiroshi, substituto de Dill, que na sexta-feira operou a fíbula da perna esquerda, fica pensativo e, quando arrisca responder, se enrola todo. "Perguntinha difícil, mas vamos lá, seremos campeão paulista, né?" Porém, quando o Ituano é lembrado, o discurso muda. "Opa, espera aí, então nos consideramos como o primeiro campeão superpaulista. Ou melhor, o Paulista terá dois campeões, o do interior e o da capital," disse, sem conter os risos. E diz conhecer bem o zagueiro do Ituano, Vinícius. "É aquele que tem um chute bastante forte."Outro ´enrolado´ é o exagerado lateral-direito Rafael. "Este título é muito importante, como se fosse uma conquista de Copa do Mundo. Aliás, até título de bairro é importante e vamos entrar para a história como campeões paulista, pela 21ª vez no clube," disse, seguro em suas declarações. Eis que entra o time do interior. "Puxa, o Ituano já é campeão paulista. Então apaga tudo o que disse, vamos ser os supercampeões paulistas. Sei lá, coisa confusa, só sei que serei campeão."Este conta com amigos no Ituano, o volante Everaldo e o lateral-direito Juliano. E tem na ponta da língua o nome do craque do oponente. "É o lateral-esquerdo, aquele que..., que..."O atacante Reinaldo define bem o valor da competição. "Vou colocar no meu currículo que fui campeão paulista. Você acha que vou dizer a meus filhos que conquistei uma competição que não valia nada?," indagou. "Muitos falam que este torneio não vala nada, mas bem que queria estar aqui já que só vão jogar em agosto."O único com opinião firme é o zagueiro Jean. "A desvalorização desta competição é muito grande, mas se ganharmos vamos ser campeões paulistas, pelo menos para mim. Afinal, enfrentamos todos os times grandes de São Paulo e eles ficaram para trás", enfatizou, lembrando dos confrontos com Santos, Corinthians e Palmeiras, dentre outros, no Torneio Rio-São Paulo que classificou os melhores para este Super Paulista. "Se inventam esta competição, ela tem de ter um campeão, então, vamos buscar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.