São Paulo cede empate contra Peñarol

Estádio Centenário vazio. Os uruguaios do Peñarol a anos-luz do futebol pegador e competitivo que um dia tiveram. Enfim, o convite para o São Paulo vencer o jogo estava feito. Mas a equipe brasileira decidiu não aceitá-lo e apenas empatou por 1 a 1, depois de ter saído na frente. Com o resultado, os brasileiros permanece na vice-liderança do Grupo D da Copa Mercosul, com seis pontos, o mesmo número dos argentinos do Talleres, que levam vantagem no número de gols marcados, sete contra cinco. Já os uruguaios ficam em terceiro, com quatro pontos. O São Paulo volta a jogar no sábado, mas desta vez pelo Campeonato Brasileiro, contra o Paraná, no Morumbi.O time de Nelsinho Baptista teve três bons momentos no primeiro tempo. Logo aos 8 minutos, três passes rápidos após uma recuperação de bola na defesa possibilitaram a armação de um contra- ataque que permitiu a França avançar de frente para o gol. No entanto, na saída do goleiro Berbia, o são-paulino pegou mal na bola e a mandou longe da meta. Aos 32, quando França lançou Leonardo que, de bicicleta, quase abriu o marcador. Aos 43, novamente França concluiu mal depois de tirar o goleiro da jogada. Já as chances do Peñarol ficaram restritas a cobranças de falta.Nelsinho deixou o campo nervoso com o preciosismo de seus jogadores, principalmente França. "Não podemos perder tantos gols assim", esbravejava o treinador na entrada do túnel que levava aos vestiários.E a bronca no intervalo deu resultado. Se por um lado o time não repetiu a mesma ofensividade no segundo tempo, pelo menos chegou ao gol, e justamente com França. O atacante foi lançado em profundidade, dominou a bola no peito e tocou na saída de Berbia. No entanto, aos 42 Júlio Baptista derruba Bengoechea na área. O próprio meia cobrou a penalidade e empatou para os donos da casa. Pelo Grupo A, o Cerro Porteño venceu o Boca Juniors por 2 a 1, em Assunção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.