São Paulo: Cicinho e Josué estão de volta

Em momentos difíceis, qualquer ajuda é bem-vinda. E o técnico Paulo Autuori não esconde o alívio por ter de volta o lateral-direito Cicinho - com o seguro do Real Madrid em dia - e o volante Josué - recuperado de lesão muscular - contra o Paraná, domingo, em Maringá. "São dois baita reforços", resumiu o treinador do São Paulo. "São jogadores experientes, adaptados ao nosso estilo de jogo." A razão do alívio é simples: nos últimos jogos, Autuori sofreu com os desfalques. Teve de improvisar Alê e Souza na lateral e Richarlyson não conseguiu executar a função de Josué com qualidade. E espera que a volta dos titulares ajude o time a sair da zona do rebaixamento. "Não podemos adiar mais nossa recuperação", alerta. Para sair da péssima fase, Josué prega a humildade. "Precisamos ter cautela, porque o Paraná é um time que marca muito bem e joga no erro do adversário", explica. "Se vencermos por 1 a 0, com gol de mão, em impedimento, está ótimo." Para o volante, a situação do São Paulo é ruim, mas não tão desesperadora quanto a que enfrentou no Goiás, em 2003. "Fomos o lanterna do primeiro turno, quatro pontos atrás do penúltimo", lembra. "Mas com empenho e trabalho, reagimos e terminamos em 9.º lugar." PREOCUPAÇÃO - Além da obrigação da vitória, os são-paulinos enfrentam o Paraná com seis jogadores pendurados - Amoroso, Lugano, Júnior, Cicinho, Josué e Edcarlos -, que podem ficar fora do clássico contra o Corinthians, dia 7 de setembro, se receberem o terceiro cartão amarelo. "É um problema, mas na fase atual, temos de pensar num jogo de cada vez. Nossa única preocupação é o Paraná", diz Autuori, que vai escalar três volantes - Mineiro, Josué e Renan -, pois não terá o zagueiro Fabão, lesionado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.