Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

São Paulo conquista três pontos no Ceará

O torcedor do São Paulo vê seu time nas primeiras posições da tabela de classificação há várias semanas, mas não pode apostar, com certeza de sucesso, que, desta vez, o time vai garantir, pelo menos, uma vaga na Libertadores. Faz tempo que a equipe não empolga, apesar dos bons resultados, e nesta quarta-feira à noite a história não foi diferente. Mostrou, mais uma vez, deficiência na armação, mas conseguiu, na base da determinação, vencer o Fortaleza por 2 a 0, na capital cearense. O triunfo mantém os são-paulinos na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, com 50 pontos, e os deixa a apenas 2 do líder Cruzeiro, que só empatou com o Coritiba por 2 a 2. O símbolo dessa raça foi o jovem atacante Kleber, de 20 anos, que abriu o caminho para a vitória com um belo gol, marcado aos 33 minutos da primeira etapa. Aproveitou rebote de escanteio e chutou de fora da área. Mas, se o ataque adversário não fosse tão infeliz nas finalizações, o placar poderia ter sido outro. Marcos Paulo desperdiçou oportunidade incrível logo no início da partida e Rena, no segundo tempo, errou uma cabeçada na frente de Rogério Ceni, que poderia ter determinado o empate. Aílton, que completará 19 anos em outubro, é a aposta da comissão técnica para se fixar no setor de criação, porém não foi bem em Fortaleza. Fez pouquíssimas jogadas de impacto e acabou substituído. Os lances de perigo saíam dos pés do esforçado Kleber. Pouco demais para um time que quer brigar pelo título. Roberto Rojas sabe da limitação do elenco, que perdeu Kaká, negociado com o Milan, e não vem contando com Ricardinho, machucado, e Luís Fabiano, suspenso. Por isso, apostou, novamente, na marcação. Escalou três zagueiros e três volantes. Nos últimos minutos, ainda pôs em campo um quarto volante, Alexandre. Assim, sem criação, é quase impossível ganhar um jogo com facilidade, sem sustos. O atacante Rico, que entrou no lugar de Diego Tardelli, apagado, marcou o segundo gol, no fim do jogo, e, na saída do campo, resumiu o segredo da vitória. ?Força de vontade do grupo?, disse ele, que homenageou a mulher, uma das avós e o filho. A esperança do torcedor é de que a força de vontade desses jovens aspirantes a ídolos continue fazendo a diferença. E, claro, com a volta de Luís Fabiano já no domingo, contra o Vasco, no Rio, e de Ricardinho, na semana que vem, o são-paulino pode esperar melhora no setor ofensivo. E precisa com urgência, se não quiser deixar de fazer parte do grupo de elite do Campeonato Brasileiro.

Agencia Estado,

20 de agosto de 2003 | 23h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.