São Paulo, Corinthians e Palmeiras buscam patrocínio

Três grandes do Estado ainda não definiram seus parceiros e podem começar 2009 de 'camisa limpa'

Bruno Wincler, Agencia Estado

29 de dezembro de 2008 | 08h36

Os três grande clubes da capital paulista estão prestes a abrir 2009 sem patrocínio. Corinthians, Palmeiras e São Paulo amargam o fim de parcerias com Medial, Fiat e LG, respectivamente, e ainda não anunciaram oficialmente nenhum substituto. Podem renovar os contratos ou simplesmente trocar de marcas. Há a possibilidade, mesmo que remota, de o trio de ferro estrear na temporada com a camisa limpa, à moda antiga, bonito e tradicional, mas pouco funcional nos tempos atuais.Veja também:Confira as novidades do mercado do futebol Paulistão 2009 - Tabela Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão  Os clubes têm na receita de patrocínio do uniforme (camisa, calção e meião) um valor fundamental para fechar as contas no fim do ano. É dinheiro sagrado. E todos estão se mexendo para iniciar o Paulistão, em 21 de janeiro, de camisa nova, mas sobretudo com um polpudo acordo assinado.A situação é bem diferente em relação ao fim de 2007. Doze meses atrás, São Paulo e Palmeiras já tinham contrato vigente. O São Paulo recebeu R$ 16 milhões da LG e o Palmeiras, R$ 10 milhões da Fiat. O Corinthians, mesmo rebaixado para a Série B do Brasileiro, conseguiu o anunciado maior acordo de patrocínio do futebol brasileiro. A Medial Saúde pagou R$ 16,5 milhões ao clube em 2008. O Santos destoa. Ainda tem contrato com a Semp Toshiba perto dos R$ 8,5 milhões/ano.O sonho inicial dos clubes era aumentar consideravelmente os valores de patrocínio, mas a crise mundial minou essa pretensão. São Paulo e Corinthians planejavam assinar contratos em torno de R$ 25 milhões. Hoje, eles se dão por satisfeitos com acordos de R$ 20 milhões - o que já seriam um ganho em relação a 2008. Os dois clubes negociam com a Emirates, empresa aérea de Dubai. O Corinthians ainda flerta com Bradesco e Itaú. No São Paulo, a LG tenta renovar a parceria que já vem desde 2001. "Temos uma proposta que é para definição rápida", diz o presidente Juvenal Juvêncio.Nenhuma das três diretorias espera rolar o assunto por muito tempo. "Como vivemos período de crise, o tempo de negociação é um pouco mais longo, mas tudo estará acertado até o início de janeiro", diz Caio Campos, gerente de marketing do Corinthians.Quem está mais perto de uma definição é o Palmeiras. Luiz Gonzaga Belluzzo, diretor de planejamento do clube, disse na semana passada que o acordo com a Samsung está próximo. A empresa coreana de eletrônicos oferece R$ 15 milhões/ano por vínculo de três temporadas. "Mas o contrato de patrocínio envolve detalhes como exposição (da marca na futura Arena Palestra) e camarotes que precisam ser acertados. Levará dias para fechar". A Fiat pode igualar a proposta. Tem prioridade para isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.