saopaulofc.net
saopaulofc.net

São Paulo crê em Nikão e Rigoni para esquecer vice e superar Ayacucho na Sul-Americana

Rogério Ceni se concentra no Brasileirão e leva time alternativo ao Peru para estreia na competição continental

Marcos Antomil, especial para o Estadão

07 de abril de 2022 | 05h00

A derrota acachapante na final do Campeonato Paulista, no último domingo, foi um baque inesperado para o São Paulo. O triunfo na partida de ida coroava a recuperação da equipe ao longo do Estadual e dava fôlego ao trabalho de Rogério Ceni, que começou a temporada claudicante devido principalmente aos desfalques. Com a perda do título para o Palmeiras, um bom resultado na estreia da Copa Sul-Americana, nesta quinta-feira, às 21h30, diante do peruano Ayacucho, torna-se fundamental para reequilibrar o moral dos atletas e da comissão técnica para o restante do ano.

A necessidade de recuperação imediata, no entanto, não retira o foco em uma boa campanha no Campeonato Brasileiro. Rogério Ceni e a direção do São Paulo querem evitar a repetição do cenário de 2021, em que o time do Morumbi lutou até as últimas rodadas contra um inédito rebaixamento. Por isso, a comissão técnica opta por levar ao Peru uma equipe recheada de reservas, dando maior rodagem ao elenco e fazendo testes para encontrar novas soluções.

“O projeto é a longo prazo. Não podemos fugir dessa realidade, que é tentar fazer o São Paulo estar na Libertadores em 2023. Agora, vamos dar oportunidade para outros jogadores. Os que iniciaram a final não devem fazer a viagem (a Cuzco) para prepararmos a estreia no Campeonato Brasileiro. Porque é muito importante não passarmos os sustos e a vergonha que passamos em 2021. Então, esses jogadores (suplentes) terão a oportunidade de também mostrar o que podemos melhorar. Devemos ter um ganho técnico, mas é natural que se perca um pouco de intensidade, porque alguns atletas ainda não estão no melhor nível físico. Vamos montar um time diferente”, destacou o técnico Rogério Ceni.

O maior adversário do São Paulo hoje poderia ser a altitude de Cuzco, de 3.400 metros. Porém, na noite de ontem a Conmebol anunciou a mudança da sede do jogo para Lima, onde não há altitude relevante. A alteração ajudou na logística do clube paulista, que não precisará fazer nova viagem no dia do jogo. A decisão se dá principalmente pelos receios sobre os protestos que têm ocorrido no Peru contra o aumento de preço dos combustíveis e fertilizantes. A partida será disputada no estádio Nacional e não contará com a presença de público.

DESPERTAR E RESSURGIR

Nikão foi a principal contratação do São Paulo em 2022. Vestindo a camisa 10, o atacante chegou para ser titular. A covid-19, no entanto, atrapalhou os planos do jogador, e a comissão técnica encontrou uma nova formação tática sem ele. Com histórico imponente, Nikão deverá ganhar oportunidade para liderar o clube na competição em que é rei. Bicampeão da Sul-Americana com o Athletico-PR (2018 e 2021), o atacante foi líder de assistências na temporada passada e marcou o gol do título diante do Red Bull Bragantino, em Montevidéu.

A situação de Rigoni é semelhante. Do argentino, espera-se um ressurgimento. Titular na maioria dos jogos desde que chegou ao São Paulo, o atacante passou a frequentar o banco de reservas e viu Eder tomar conta da posição. Autor de somente dois gols até aqui (diante de Mirassol e Botafogo de Ribeirão Preto), Rigoni teve seu nome associado ao Internacional. A transferência, no entanto, encontrou resistências no Morumbi. Em Cuzco, o atleta tem de se reinventar e demonstrar seu caráter decisivo.

AYACUCHO

O Ayacucho é apenas o 10º colocado no torneio Apertura do Campeonato Peruano. Com três vitórias, um empate e quatro derrotas, o time ostenta números antagônicos: é o melhor ataque (com 16 gols) e a quarta pior defesa (14 gols sofridos). Após ficar três partidas sem vencer, o time de Alejandro Apud desencantou na última rodada ao derrotar a Universidad Técnica de Cajamarca, por 3 a 2. Para chegar a esta fase da Sul-Americana, eliminou o compatriota Sport Boys. O time não joga a competição continental em sua casa tradicional, o acanhado estádio Ciudad de Cumaná, por falta de iluminação. O principal destaque do time é o meia uruguaio Cristian Techera, artilheiro e autor de seis gols na temporada.

FICHA TÉCNICA

AYACUCHO x SÃO PAULO

AYACUCHO – Espinoza; Magallanes, Salazar e Quina; Chávez, Ardiles, Barrios e Mendieta; Techera, Morales e Royón. Técnico: Alejandro Apud.

SÃO PAULO – Tiago Volpi; Igor Vinícius, Arboleda, Miranda e Reinaldo; Colorado, Patrick e Luan (Marquinhos); Nikão, Rigoni e Luciano. Técnico: Rogério Ceni.

ÁRBITRO – Augusto Aragón (Equador)

LOCAL – Estádio Nacional de Lima (Peru)

HORÁRIO – 21h30 (horário de Brasília)

ONDE ASSISTIR – Conmebol TV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.