São Paulo cria pouco, mas vence o Figueirense fora

O São Paulo voltou a fazer uma apresentação ruim neste domingo. Menos mal que, aos 51 segundos, Ademilson, de 18 anos, em seu primeiro jogo como titular, abriu o placar no Orlando Scarpelli. Depois, havia a alegação de que o time segurava a vitória sobre o Figueirense, em jogo válido pela 11.ª rodada do Brasileirão. A equipe da casa também nada fez de útil. Quando passou a jogar no ataque, Fred foi expulso e devolveu o jogo à monotonia, só quebrada com o gol de Willian José, no último minuto, que fechou a conta em 2 a 0.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

22 de julho de 2012 | 18h02

A primeira vitória de Ney Franco no comando do São Paulo, em seu terceiro jogo como treinador da equipe, deixa o time provisoriamente no quinto lugar da classificação, com 19 pontos - só Grêmio e Botafogo, que se enfrentam logo mais, podem ganhar a posição. O Figueirense segue na zona de rebaixamento, em 18.º, com oito pontos apenas.

Os dois times têm seus próximos compromissos na quarta-feira, pela 12.ª rodada. Às 19h30, novamente em Florianópolis, o Figueirense recebe o Internacional. Já o São Paulo entra em campo às 21h50, diante do Atlético-GO, no Morumbi.

O JOGO - O primeiro tempo durou exatos 51 segundos. O São Paulo desceu para o ataque na primeira posse de bola, Denilson chutou prensado e a bola sobrou para Ademilson. O garoto aproveitou o erro da linha de impedimento e bateu de primeira para o gol, sem chances de defesa para Wilson.

Depois disso o São Paulo foi o mesmo time apático que arrancou vais da torcida na quarta-feira, na derrota para o Vasco. A diferença só era o placar favorável. Lances de relevância, só dois: um chute de Willian José e outro de Guilherme Santos, ambos para fora, sem sustos para os goleiros.

O segundo tempo começou bem mais movimentado, com Roni no lugar de Almir no time do Figueirense. Com a formação mais ofensiva, a equipe da casa passou a pressionar, perdendo boa chance com Júlio César. Num outro lance mais agudo, aos 13 minutos, Denis saiu mal do gol, escorregou, e Caio tinha a chance de cabecear para o gol na pequena área. Mas ele acertou a bola com o ombro e permitiu que João Filipe tirasse em cima da linha.

Pouco antes, aos 7, Fred deu carrinho por trás em Ademilson e o gaúcho Anderson Daronco só deu amarelo - o atacante do São Paulo, machucado, teve que sair para entrar Rafinha. Mas o zagueiro do Figueirense queria mesmo ser expulso. Aos 24 ele puxou acintosamente Cortez pela camisa e recebeu o segundo amarelo.

Depois disso, o jogo voltou a ficar sem grandes emoções, repetindo o primeiro tempo. A única diferença era a violência, que o árbitro Anderson Daronco não conseguiu controlar. Com João Schmidt, de 19 anos, no time no lugar de Maicon, a marcação melhorou. E foi num contra-ataque que Willian José bateu forte e fez o segundo, já no último lance do jogo. Na comemoração, chorou.

FICHA TÉCNICA:

FIGUEIRENSE 0 X 2 SÃO PAULO

FIGUEIRENSE - Wilson; Coutinho (Aloísio), Fred, Anderson Conceição e Guilherme Santos; Túlio, Doriva, Pittoni e Almir (Roni); Caio e Júlio César (Canuto). Técnico - Abel Ribeiro (interino).

SÃO PAULO - Denis; João Filipe (Edson Silva), Rhodolfo e Rafael Toloi; Douglas, Denilson, Maicon (João Schmidt), Jadson e Cortez; Ademilson (Rafinha) e Willian José. Técnico - Ney Franco.

GOL - Ademilson, aos 51 segundos do primeiro tempo. Willian José, aos 49 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Anderson Daronco (RS).

CARTÕES AMARELOS - Pitoni, Túlio, Anderson Conceição, Guilherme Santos, João Filipe, Edson Silva e Willian José.

CARTÃO VERMELHO - Fred.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.