Divulgação
Divulgação

São Paulo demite diretor pela segunda vez em dois meses

Alex Bourgeois sai do clube três semanas após ser recontratado

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

09 Novembro 2015 | 20h38

Atualizado em 10/11/2015, às 7h15

Além de demitir o técnico Doriva, o São Paulo promoveu outra troca no clube nesta segunda-feira. O diretor executivo (CEO) Alexandre Bourgeois deixou o cargo pela segunda vez em dois meses. O dirigente havia sido demitido pelo ex-presidente Carlos Miguel Aidar, foi recontratado pelo atual mandatário, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, mas saiu novamente da gestão.

Segundo pessoas ligadas ao São Paulo, Bourgeois criou desgaste com a atual diretoria por vazar para a imprensa detalhes sobre o contrato do gerente executivo Gustavo de Oliveira, que acaba de voltar ao clube por escolha de Leco. O novo acordo prevê um aumento salarial e o pagamento de bônus a Oliveira para possíveis vendas de jogadores do São Paulo.

O diretor executivo chegou ao clube para sua primeira passagem em julho, indicado pelo empresário Abílio Diniz. O papel do diretor seria reestruturar as finanças e promover um novo plano de gestão do São Paulo. Em setembro, foi demitido por Aidar em uma reunião conturbada da diretoria, em que Bourgeois chegou a dizer que recebeu ameaça de agressão. Dias depois, o então presidente explicou que tomou a decisão porque o ex-funcionário não havia entregado os resultados prometidos.

Logo após a renúncia de Aidar, Leco assumiu o cargo interinamente e mesmo antes da eleição para o mandato tampão, no fim de outubro, reconduziu Bourgeois ao cargo e demitiu o substituto dele, Paulo Ricardo de Oliveira. O presidente do clube não foi encontrado para comentar o assunto.

Em contato com o Estado, Bourgeois negou ter vazado informações sobre o contrato de Oliveira e disse que o responsável por isso é algum funcionário que atua CT da Barra Funda. De acordo com o ex-diretor, pesou para a saída uma desavença com o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro e a falta de interesse do São Paulo em colocar em prática uma gestão profissional.

Mais conteúdo sobre:
futebol São Paulo FC Alex Bourgeois

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.