Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

São Paulo demora para engrenar, mas bate o Red Bull e vai às semis

Medalhões tricolores marcam em vitória por 3 a 0, no Morumbi

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

11 de abril de 2015 | 20h37

Se a proposta do Red Bull Brasil era de jogar no erro do adversário, quem acabou por seguir essa cartilha foi o São Paulo. O time do Morumbi sofreu e demorou para acordar, mas decidiu a partida quando teve chance, conseguiu fazer 3 a 0 neste sábado dentro de casa e está nas semifinais do Campeonato Paulista.

Os números do resultado dão uma falsa impressão de que a vitória foi fácil. O São Paulo não foi brilhante e nem dono da partida, só que a tradição, o renome e o talento dos seus jogadores o permitiram ser decisivo para aproveitar as falhas do adversário e conseguir eliminar o caçula do Estadual.

A classificação foi tão importante na noite quanto as boas atuações individuais. Wesley pôde estrear e jogou bem, Ganso marcou gol e se redimiu das vaias recebidas antes da partida e Pato marcou pelo segundo jogo seguido.

O São Paulo do primeiro tempo foi uma espécie de reprise dos defeitos antigos da equipe. Misturou a falta de criatividade que tanto incomodou o ex-técnico Muricy Ramalho com grande dose da apatia típica do favorito prestes a ser eliminado.

O panorama era totalmente favorável ao Red Bull, que se defendia com os dez homens de linha e pouco era atacado. O São Paulo estava espalhado demais pelo campo, Alexandre Pato como centroavante pouco funcionava e, sem saber o que fazer, o interino Milton Cruz resolveu mudar Michel Bastos de lado para tentar encontrar uma rota.

Os primeiros lances de perigo foram do caçula do Estadual. O Red Bull chegou duas vezes na área e Rogério Ceni fez ótimas defesas. O goleiro salvaria ainda o primeiro tempo nos minutos finais. Pato cavou uma falta na entrada da área e o capitão se apresentou para bater. O goleiro Juninho tentou adivinhar que a bola passaria por cima da barreira e até andou para aquela direção, mas foi pego de surpresa quando a viu entrar justamente no lado onde estava.

A desvantagem levou o Red Bull a mudar toda a estratégia e começou o segundo tempo mais adiantado. Jogar contra a própria vocação defensiva saiu caro e mais dois duros golpes sepultaram o sonho do caçula eliminar o favorito. Aos 5 minutos, pela primeira vez o time da casa encontrou espaço para criar e Ganso, quase caindo, passou para Pato entrar na área e ampliar.

Os dois gols de vantagem deixaram o jogo ao gosto do São Paulo. Restou esperar mais alguns minutos para o Red Bull se abrir e o terceiro gol aparecer. Michel Bastos chegou à linha de fundo e cruzou para Ganso cabecear. Aos 18 minutos, o placar de 3 a 0 era um resultado superior ao merecido pela equipe tricolor.

O tempo restante até o minuto final foi meramente protocolar. O São Paulo já estava classificado e mais confiante, conseguiu tocar bem a bola, fazer boas tabelas e mostrar o bom futebol que ficou tão distante de apresentar no primeiro tempo. Mas, se a equipe quiser se salvar da crise, ainda terá de ser muito mais regular do que foi neste sábado.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 3 X 0 RED BULL BRASIL

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Hudson, Rafael Toloi, Lucão (Dória) e Reinaldo; Denilson, Souza (Rodrigo Caio), Wesley, Ganso (Centurión) e Michel Bastos; Alexandre Pato. Técnico: Milton Cruz.

RED BULL - Juninho; Jonas, Anderson Marques, Fabiano Eller e Romário; Jocinei, Andrade (Isac) e Lulinha, Everton Silva (Carlinhos) e Marcelo (Allan Dias); Edmílson. Técnico: Maurício Barbieri.

GOLS - Rogério Ceni, aos 44 do primeiro tempo, Alexandre Pato, aos 5, e Ganso, aos 18 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Souza, Lucão, Fabiano Eller, Romário, Andrade e Lulinha.

ÁRBITRO - Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.

PÚBLICO - 18.221.

RENDA - R$ 525.090,00.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.