São Paulo derrota XV e tem primeira vitória fora de casa no Paulistão

Reserva há dois jogos, Ganso entra no segundo tempo e comanda a virada do Tricolor

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

27 de fevereiro de 2014 | 00h05

SÃO PAULO - Um susto, um empate rápido e Ganso dando sinal de vida marcaram a primeira vitória do São Paulo fora de casa. O Tricolor conseguiu se recuperar de um gol sofrido no início e contou com jornada inspirada do camisa 10, que saiu do banco e foi fundamental para bater o XV de Piracicaba e chegar aos 18 pontos. O time é vice-líder do Grupo A, junto com o Penapolense, que pega o Botafogo, sábado.

Depois de uma série de testes, Muricy Ramalho parece ter encontrado um time "ideal" no clássico contra o Santos e resolveu manter a aposta bancando Ganso na reserva. A única alteração em relação ao fim de semana é que Paulo Miranda deu lugar a Luis Ricardo, mas o ex-jogador da Portuguesa, foi escalado como atacante ao lado de Osvaldo e Luis Fabiano.

Antes que ele pudesse justificar sua entrada, o XV já comemorava seu primeiro gol aos três minutos, mais uma vez por uma jogada de bola parada que Alvaro Pereira e Souza não cortaram e deixaram Cafu marcar.

Até por uma questão de característica do jogador, o São Paulo sem Ganso é uma equipe muito mais veloz e que chega com mais força ao ataque, mas a falta de alguém capaz de pensar e cadenciar a partida fica evidente em momentos de inexplicável correria quando na verdade o que se faz necessário é pôr a bola no chão e cadenciá-lo. Pabon, escalado para ser o elo com o ataque, teve boa participação e por duas vezes chegou na área para bater no gol (como tanto pede Muricy), mas não consegue baixar a rotação.

Sem um cérebro no meio, restou explorar as pontas com Osvaldo e Luis Ricardo, que construíram o empate. O primeiro avançou pela esquerda e serviu o companheiro, que com um leve toque desviou para o gol. Mesmo com o empate a correria continuou alucinada.

O ÚLTIMO PASSE

Quem também sofreu na primeira etapa foi Luis Fabiano, que passou os 45 primeiros minutos lutando para conseguir ao menos uma bola em condições de marcar e recebeu apenas "pedradas". Faltava alguém para dar o último passe para que o artilheiro pudesse desequilibrar. E aí Muricy chamou Ganso para o jogo.

Em que se pese o nível do adversário, ao menos dessa vez o camisa 10 se portou como se espera e mostrou disposição. Apresentou-se para receber as bolas, controlou o jogo e ficou mais próximo à área. Mas era preciso algo mais, e o diferencial veio aos 23, quando ele deu lindo passe para Luis Fabiano apenas deslocar Mateus e virar.

Com a superioridade, o Tricolor passou a tocar a bola e esperar o relógio passar, mas ainda daria tempo para Ganso praticamente repetir a dobradinha com Luis Fabiano, mas desta vez o atacante foi derrubado na área: pênalti que Pabon cobrou e definiu o placar.

É cedo para dizer que Ganso acordou, mas ao menos ele mostra que o talento para jogar ele não perdeu. Já é um começo.

FICHA TÉCNICA

XV DE PIRACICABA 1 x 3 SÃO PAULO

XV DE PIRACICABA (4-4-2): Mateus; Vinícius Bovi, Leonardo Luiz, Pitty e Aelson; Rodrigo, Alan Bahia, Gilsinho (Jean Carioca) e Danilinho; Júnior Barros (Adílson) e Cafu. Técnico: Edson Só.

SÃO PAULO (4-4-2): Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon, Luis Ricardo (Ganso) e Pabon (Wellington); Luis Fabiano e Osvaldo (Ademilson). Técnico: Muricy Ramalho.

GOLS: Cafu, aos 3, e Luis Ricardo, aos 12 minutos do 1º tempo. Luis Fabiano, aos 23, e Pabon (pênalti), aos 40 do 2º.

ÁRBITRO: Norberto Santos da Silveira.

CARTÕES AMARELOS: Vinícius Bovi e Pitty.

RENDA: R$ 334.245,00

PÚBLICO: 8. 130 pagantes (8.980 total).

LOCAL: Barão de Serra Negra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.