São Paulo desafia cansaço para superar a Portuguesa

Muricy comanda apenas treinos leves para poupar jogadores após jogo da Libertadores na última quarta

Agência Estado

07 de março de 2008 | 18h04

'Cansaço' é a melhor palavra que define o time do São Paulo para o clássico deste sábado contra a Portuguesa, às 18h10, em Ribeirão Preto. O time fez apenas treinos leves depois da partida de quarta-feira, contra o Audax, pela Libertadores, e o técnico Muricy Ramalho, com o respaldo da comissão técnica, não quis arriscar, já que não há tempo de recuperação. "Com dois jogos por semana, é assim que tem de ser. Os jogadores só têm tempo para descansar e mesmo assim é pouco", diz o preparador físico Carlinhos Neves, sem disfarçar o esquema "treinos de pijama" que adotou depois da maratona de jogos. Enquanto o São Paulo jogava, a Lusa correu muito durante a semana para se preparar para o clássico. Mesmo com o time precisando de um tempo maior entre as partidas, o técnico Muricy Ramalho não vai poupar ninguém para o jogo deste sábado. "Dizem que a gente só pensa na Libertadores, mas até hoje não poupei ninguém no Paulista. A gente vai brigar nas duas competições e isso não vai mudar", disse o comandante são-paulino. Richarlyson, suspenso, é o único desfalque. Os xarás Éder Luis, lateral-direito, e Éder, meia-atacante, não podem jogar o Paulistão e por isso o time deve jogar no esquema 3-5-2, com Miranda, André Dias e Juninho, os únicos zagueiros disponíveis. Alex Bruno, que passará por cirurgia no tornozelo, e Alex Silva, ainda em fase de recuperação de cirurgia no joelho, são os outros jogadores da posição. André Dias, porém, é dúvida. O jogador sentiu uma pancada na coxa esquerda contra o Audax e só saberá neste sábado se tem condições para jogar. "Nem sei se tenho três zagueiros para escalar amanhã (sábado), tenho?", disse Muricy, sem revelar quem joga. "Nem sei quem pode jogar ainda. Com tantas partidas o time só se recupera, dorme e vai para o jogo de novo. Os caras estão cansados. Não é simples. Tem que ver quem se desgasta mais, perde peso e demora a se recuperar. Vamos conversar com a comissão para sentir até onde podemos ir com os jogadores", disse o treinador. Quem tem presença confirmada é Adriano. O jogador tem a confiança de toda a comissão técnica e, depois dos gols pela Libertadores, a expectativa é de que o jogador volte a marcar. "Em todos os jogos que o Adriano fez, ele jogou os 90 minutos. Nunca faltou empenho da parte dele. A gente só espera que ele continue assim", disse o superintendente de futebol, Marco Aurélio Cunha, que admitiu o desgaste provocado pelos problemas que o jogador teve fora de campo na semana passada. Em quarto lugar no Paulistão, com 23 pontos, o São Paulo dará um tempo à euforia da Libertadores, e planeja marcar pelo menos sete pontos nas próximas três rodadas, contra Portuguesa, Barueri e Palmeiras, para se garantir nas semifinais. "O ideal seria vencer tudo, mas, com tantos jogos, marcar pelo menos sete está bom", diz o zagueiro André Dias. CASA NOVASem poder usar o Canindé, vetado pela Federação Paulista de Futebol, a Portuguesa terá sua quarta "casa" neste sábado: o Estádio Santa Cruz. Para conseguir a vitória e fazer a equipe voltar a sonhar com as semifinais, o técnico Vágner Benazzi encara a partida como uma decisão. "O São Paulo é uma equipe que apresenta muita movimentação. Temos de marcar com inteligência e sair com rapidez nos contra-ataques", afirmou o treinador. PortuguesaAndré Luiz; Patrício, Halisson, Marco Aurélio e Bruno Rodrigo; Dias, Erick, Carlos Alberto e Preto; Rogério e ChristianTécnico: Vágner BenazziSão PauloRogério Ceni; Miranda, André Dias e Juninho; Zé Luiz, Hernanes, Fábio Santos, Jorge Wagner e Júnior; Borges e AdrianoTécnico: Muricy RamalhoÁrbitro: Milton Etsuo BalleriniEstádio: Santa CruzHorário: 18h10Rádio: Eldorado/ESPN - 700AMTV: Pay-per-view A equipe chega para o clássico com 17 pontos, começando a rodada na décima posição. "Se a gente ganha do São Paulo, cresce muito em moral e pode se superar nas últimas rodadas", prevê Benazzi, que faz questão de enfatizar que a meta da equipe no Paulistão é apenas "uma boa campanha". Sem nenhum desfalque, Benazzi conta com a volta do atacante Vaguinho, que cumpriu 120 dias de suspensão depois de ser pego no exame antidoping com a substância tetrahidrocanabiol, encontrada na maconha. Sem ritmo de jogo, a Lusa deve ir a campo com o mesmo time da última rodada, quando empatou por 1 a 1 com a Ponte Preta, em Campinas.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCPortuguesaPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.