Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

São Paulo desafia o Santos e tabu por final na Copa do Brasil

Time do Morumbi perdeu os últimos seis confrontos mata-mata

Ciro Campos e Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2015 | 07h00

São Paulo e Santos começam a decidir uma vaga na final da Copa do Brasil depois de percorrerem trajetórias inversas em 2015. Enquanto o São Paulo largou bem, mas foi soterrado por uma crise política e financeira que prejudicou o time, o Santos fez o contrário. De um início caótico, no qual perdeu quatro jogadores por atraso de salários, o clube se reergueu e se tornou a surpresa da temporada.

O São Paulo entra pressionado também por causa de um longo jejum. Nos últimos 15 anos, o time do Morumbi não consegue superar o rival em jogos no formato mata-mata. Já foram seis confrontos, quatro deles válidos por semifinais. “Esse tabu vem de muitos anos. Não estávamos aqui. Tabu é para ser quebrado. Dessa vez, não vai passar”, disse ontem o meia Michel Bastos.

O jogador é a principal novidade para o clássico. Fora do time por quatro jogos, recuperou-se de um estiramento muscular na coxa esquerda e defendeu ontem a importância de construir uma vitória sem sofrer gols no primeiro jogo – a volta será na Vila Belmiro, na semana que vem. “Lá será complicado. Por isso, não podemos deixar escapar a oportunidade de abrir alguma vantagem na ida”, disse o jogador.

O técnico Doriva, em sua terceira partida depois de ser escolhido para substituir Juan Carlos Osorio, herdou a pressão pelo fracasso no Paulista e as dificuldades no Campeonato Brasileiro – o time parece ter perdido o fôlego na disputa por uma vaga no G-4. O jejum de duas partidas obriga o clube a acreditar na imprevisibilidade do mata-mata para tirar forças e negar o favoritismo do adversário. Apesar de valer vaga na final, a torcida no São Paulo não se empolgou e somente 14 mil ingressos haviam sido vendidos até a parcial divulgada segunda.

Mesmo que o ponto forte de sua campanha seja a Vila Belmiro – a equipe soma 11 vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro –, o Santos descarta uma postura defensiva na partida do Morumbi. O principal objetivo é fazer um gol na casa do adversário, o primeiro critério de desempate. “A gente não vai só se defender. Fazer um gol fora de casa é importante na Copa do Brasil”, disse o volante Renato.

Depois de um período com inúmeros jogadores lesionados, o time está praticamente completo. O único desfalque é o lateral Victor Ferraz, que deverá ser substituído por Daniel Guedes. Na zaga, Gustavo Henrique volta após dois jogos. O principal trunfo é um azeitado sistema ofensivo. Comandado pelo goleador Ricardo Oliveira, artilheiro do Campeonato Brasileiro, o time tem a criatividade de Lucas Lima e a velocidade de Gabriel. “Podemos dar um grande ano para o Santos”, diz o atacante.

SÃO PAULO X SANTOS

SÃO PAULO

Rogério Ceni; Bruno, Lucão, Luiz Eduardo e Matheus Reis; Rodrigo Caio, Thiago Mendes e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato, Michel Bastos e Luis Fabiano

Técnico: Doriva

SANTOS

Vanderlei; Daniel Guedes, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel, Gabriel e Ricardo Oliveira

Técnico: Dorival Júnior

Local: Morumbi, em São Paulo

Horário: 22h

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.