São Paulo desfigurado busca título

Um São Paulo desfigurado, que até precisou fazer reconhecimento de seu próprio gramado, terá nesta quinta-feira a responsabilidade de vencer o Ituano e o primeiro título do São Paulo e do técnico Oswaldo de Oliveira este ano na final do desvalorizado Supercampeonato Paulista. No primeiro jogo, as duas equipes empataram por 2 a 2 e a decisão será às 16 horas, no Morumbi. Em caso de empate, haverá disputa de pênaltis. Para a decisão, o treinador são-paulino não poderá contar com cinco titulares do Torneio Rio-São Paulo: Kaká, Belleti e Rogério Ceni estão na seleção brasileira, França está contundido e Gustavo Nery está suspenso. Além desses problemas, dois reservas ? o atacante Dill, que teve a perna fraturada, e o meia Júlio Baptista, também suspenso ? não têm condições de jogo. Com toda esta situação, Oswaldo preferiu fazer o último treino antes da final no Estádio do Morumbi. ?É bom para aclimatar, para os jogadores sentirem o gramado?, diz o técnico, que promete não mexer muito no time. ?Minha intenção é fazer o mais simples possível.? Sendo assim, o técnico confirmou a escalação de Lino no lugar de Gustavo Nery e Lúcio Flávio no de Júlio Baptista. Os jogadores não escondem uma certa ansiedade. Sabem que se ganharem, só confirmarão favoritismo. Se perderem muitos atletas poderão ser dispensados nos segundo semestre. ?Estamos cientes desta responsabilidade porque estamos jogando em casa, com toda a nossa tradição e o apoio da nossa torcida?, diz o goleiro Roger. ?O Brasil todo vai ver. Este não é um jogo qualquer?, afirma o atacante Reinaldo que, para garantir de vez sua permanência, o jogador espera manter uma tradição: a de marcar em todas as finais que disputa. ?Uma vitória pode dar a credibilidade de que todos têm condições de atuar por um grande clube?, diz meia Lúcio Flávio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.