Daniel Teixeira/Estadão - 28/04/2013
Daniel Teixeira/Estadão - 28/04/2013

São Paulo deve ganhar opção para terceira camisa neste ano

Under Armour vai oferecer projeto, que tem boa chance de avançar

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

28 Março 2015 | 07h00

O São Paulo deve quebrar tradições e ter em 2015 uma terceira camisa. A Under Armour, nova fornecedora de material esportivo do clube, vai propor aos conselheiros um modelo de uniforme alternativo e como a ideia já tem boa aceitação, a tendência é o projeto ser aprovado nas votações pelas quais precisará passar.

O estatuto do São Paulo é rígido quando se trata de uniforme. O time não pode entrar em campo em partidas oficiais com camisas que não tenham as listras vermelha e preta separadas por uma faixa branca. Por isso, ideias anteriores de camisas alternativas não vingaram, mas agora a marca americana está disposta a tentar.

A Under Armour começa em maio a fornecer o material esportivo do São Paulo no lugar da Penalty. A empresa já iniciou a montagem de estruturas no estádio do Morumbi para ter uma loja de produtos oficiais. O contrato com o clube é de cinco anos, pelo valor de R$ 135 milhões.

Uma das possibilidade é que o terceiro uniforme seja usado somente em amistosos e partidas festivas. O São Paulo tem boas expectativas de lucro com a comercialização do material e aposta em repetir o sucesso de uma camisa lançada em 2012. A peça, na cor azul celeste e com faixas em vermelho e preto, fazia referência aos ídolos uruguaios do clube e inclusive levava na costas as opções de nomes como Lugano, Forlán, Pedro Rocha e Darío Pereyra.

Nas quartas de final do Campeonato Paulista de 2013 o São Paulo usou pela última vez um uniforme alternativo. A instalação de assentos vermelhos no estádio do Morumbi levou o clube a entrar em campo contra a Penapolense com um uniforme que simulava ter sido tingido pela mesma cor. A ação integrava uma campanha de marketing intitulada: 'A Cor da Raça'. 

Mais conteúdo sobre:
futebol São Paulo FC Under Armour

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.