Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

São Paulo disponibiliza o Morumbi para vacinação contra a covid-19

Julio Casares enviou carta ao governador João Doria poucas horas depois de o Corinthians também colocar sua arena à disposição do Estado

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2021 | 17h49

Horas depois do novo presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, anunciar nesta sexta-feira que deixará a Neo Química Arena à disposição das autoridades de saúde de São Paulo para contribuir na campanha de vacinação contra o novo coronavírus da cidade,  o São Paulo enviou uma carta assinada pelo presidente Julio Casares ao Governador do Estado de São Paulo, João Doria, disponibilizando as estruturas do clube, inclusive o Estádio do Morumbi para o mesmo fim.

"Assumindo nossa responsabilidade social neste importante e crítico momento vivido por toda a população, mas inteiramente confiantes no sério trabalho conduzido pelo Governador João Doria e por todo o Comitê Executivo, manifestamos nosso posicionamento em disponibilizar toda a infraestrutura do São Paulo Futebol Clube para aquilo que for necessário, inclusive o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, para local de vacinação", afirmou Casares. 

O São Paulo repete a atitude tomada em março do ano passado, quando colocou à disposição das autoridades toda a infraestrutura são-paulina, oferecendo seus espaços para o que fosse necessário no combate à pandemia do novo coronavírus.

VACINAÇÃO EM SÃO PAULO

 Segundo o Plano Estadual de Imunização contra a covid-19 de São Paulo, as primeiras doses da Coronavac serão aplicadas a partir do próximo dia 25. O cronograma terá nove semanas de duração, com fim previsto para 28 de março. A primeira fase da campanha deve atingir 9 milhões de pessoas e terá como foco profissionais de saúde, idosos, indígenas e quilombolas.

Na Europa, o Olympique de Marselha, que ocupa a quinta colocação no Campeonato Francês, também anunciou que deixará seu estádio, o Vélodrome, à disposição das autoridades de saúde francesas para ser utilizado durante a campanha de vacinação contra a covid-19 no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.