São Paulo diz que não compensava manter Alex Silva

Liberado dos treinos para poder discutir seu futuro com o Hamburgo, Alex Silva não joga mais pelo São Paulo. Nesta quinta-feira, a diretoria são-paulina deixou bem claro que não compensava mais manter o zagueiro, que está emprestado pelo clube alemão até o dia 31 de julho.

BRUNO DEIRO, Agência Estado

26 de maio de 2011 | 18h22

"A direção avaliou o custo-benefício, a postura do atleta como profissional e o valor que seria pago", disse o novo diretor de futebol do São Paulo, Adalberto Baptista, ao explicar porque Alex Silva foi liberado pelo clube. Ele, no entanto, não revelou os valores necessários para uma possível manutenção do jogador, já que o Hamburgo não aceita emprestar novamente - para contratá-lo em definitivo, teria que desembolsar algo em torno de 3,5 milhões de euros (cerca de R$ 8 milhões).

Apesar de ser ídolo da torcida são-paulina, Alex Silva se envolveu em muitas confusões nesta sua segunda passagem pelo clube e criou um desgaste interno. Ele chegou a faltar em treinos e criticou publicamente os dirigentes. Além disso, sua permanência envolveria altos valores. Por isso, o São Paulo resolveu desistir do jogador.

Mas, mesmo não contando mais com ele, o São Paulo já avisou que não irá facilitar a saída do zagueiro, antecipando uma rescisão contratual, caso seu destino seja algum clube rival - Santos e Corinthians estariam interessados em Alex Silva. "Não vamos antecipar a rescisão se for para um concorrente direto. Depois que encerrar o contrato, ele está livre para ir para onde quiser", afirmou Adalberto Baptista.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão PauloAlex Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.