Arquivo/AE
Arquivo/AE

São Paulo diz que não fará loucuras para repatriar Cicinho

'Não estou desistindo, mas tenho juízo e não pago o que ele quer', garantiu o presidente Juvenal Juvêncio

André Avelar , Agencia Estado

25 de janeiro de 2010 | 14h15

O São Paulo ainda não desistiu de repatriar Cicinho, mas também não quer pagar o alto salário pedido pelo lateral-direito. O presidente Juvenal Juvêncio mandou um ultimato ao jogador, que não vem sendo aproveitado na Roma.

 

"Não estou desistindo. Mas tenho juízo e não pago [o valor salarial que ele quer]. É a minha oferta e não posso fazer muito mais", avisou Juvenal, que segue negociando com o jogador para trazer mais um jogador que atual pelo clube. No último sábado, o clube anunciou o retorno do zagueiro Alex Silva, emprestado pelo Hamburgo (ALE) por 18 meses.

 

A volta de Cicinho ao São Paulo não esbarra apenas na questão salarial. A Roma só aceita liberar o lateral por empréstimo até junho, mas o clube do Morumbi deseja ter o jogador até o fim do ano.

 

Ainda assim, o São Paulo não esconde que está atrás de mais um jogador. Juvenal Juvêncio diz que ainda não tem o nome do novo reforço, mas já sabe a posição. "Atacante. Queremos agora um atacante. Vamos atrás", disse.

 

O técnico Ricardo Gomes admitiu no último sábado, após a vitória por 3 a 0 sobre o Rio Claro, que está difícil chegar a um acordo para trazer o atleta de volta ao País.

 

Se o quadro atual mudar e Cicinho for confirmado como reforço, o lateral se tornaria o terceiro jogador consecutivo a ser repatriado pelo São Paulo junto ao futebol europeu.

 

Depois de anunciar Alex Silva, o São Paulo confirmou nesta segunda-feira, por meio de Juvenal Juvêncio, que a contratação do volante Cléber Santana, ex-Santos e hoje no Atlético de Madrid, está acertada. Segundo o dirigente, falta apenas a assinatura de um documento que será enviado pelo clube espanhol para que a chegada do meio-campista seja oficializada.

 

(Atualizado às 14h10 para acréscimo de informação)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.