JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

São Paulo e Corinthians medem forças no Morumbi

Vitória dá mais confiança para a Libertadores

Ciro Campos e Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

08 Março 2015 | 08h00

A Libertadores dá ao clássico de hoje entre São Paulo e Corinthians uma importância muito maior do que teria um simples encontro pela primeira fase do Campeonato Paulista. Os rivais jogam neste domingo, no Morumbi, às 16h, para testar forças e colocar pressão sobre o adversário direto no torneio continental.

O São Paulo trata o encontro de forma ainda mais decisiva, e quer apagar as lembranças da atuação apática na derrota para o Corinthians por 2 a 0 pela Libertadores. Vencer será uma prova de que a equipe evoluiu. “Os jogos no Campeonato Paulista não servem muito como parâmetro para sentir se o time está bem. Mas confrontos como este servem”, afirmou Muricy Ramalho.


A atenção com o clássico levou o São Paulo a ter preparação diferente. O time fez dois treinos no estádio, o últimos deles com a presença da torcida.

O elenco descarta tratar o jogo como revanche, mas vê uma vitória neste domingo como fundamental para ajudar na campanha na Libertadores. “Ganhar é importante para dar segurança e confiança ao time. É em jogos assim que você pode deslanchar”, disse Muricy.

Mais do que o resultado, o São Paulo promete uma postura diferente da mostrada no Itaquerão mês passado. O técnico quer um time mais aguerrido e por isso mudou a formação. Sem poder escalar Pato, a equipe terá Centurión e Michel Bastos.

Do lado do Corinthians, Tite vai abandonar o rodízio de atletas que tem feito entre os jogos da Libertadores e do Paulista. “Clássico é um campeonato à parte”, justifica o treinador.

Assim, os jogadores que atuaram diante do San Lorenzo quarta-feira em Buenos Aires não terão descanso. E o time ainda será reforçado por Guerrero, que não jogou na Argentina por estar suspenso, e Emerson, fora da viagem por causa de uma inflamação no joelho direito.

Tite só não levará ao Morumbi os atletas que estão vetados pelo departamento médico: Fábio Santos, Bruno Henrique, Renato Augusto e Mendoza.

“O que tem me deixado contente é que os atletas têm entrado e produzido bem. Isso valoriza contexto físico e tático”, disse Tite.

O treinador pode igualar neste domingo a sua melhor sequência pelo Corinthians, que foi de 13 jogos de invencibilidade, entre 2010 e 2011. A marca foi quebrada na derrota por 2 a 0 para o Tolima, pela pré- Libertadores.

“Demorou uns quatro anos e meio para encontrar uma coisa boa do Tolima. Eu estava invicto”, lembra o treinador.

Desde a volta de Tite ao clube, no início do ano, o Corinthians perdeu apenas o primeiro jogo, contra o Colônia, da Alemanha. Depois, o time acumulou dez vitórias e dois empates.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO

Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Edson Silva (Doria) e Reinaldo; Denilson, Souza, Centurión, Ganso e Michel Bastos; Luis Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho

CORINTHIANS

Cássio; Fagner, Edu Dracena (Felipe), Gil e Uendel; Ralf, Elias, Jadson, Danilo (Petros) e Emerson; Guerrero. Técnico: Tite

Juiz: Leandro Bizzio Marinho

Local: Morumbi

Horário: 16h

Na TV: Globo, Band e Pay-per-view

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.