São Paulo e Cuca em 2004: tudo certo?

?Não é possível. O São Paulo estava ganhando do River Plate por 2 a 0, com 35 mil pessoas empolgadas empurrando o time. Tinha tudo para fazer o terceiro gol e chegar à final da Copa Sul-Americana. Não dá para entender por que parou em campo. Não gostei da atitude da equipe.?O desabafo feito pelo presidente Marcelo Portugal Gouvêa na manhã desta quinta-feira, no Fórum do Futebol, teve reflexos à tarde. Várias fontes garantiam que o São Paulo havia contratado um novo treinador para 2004 para substituir Rojas: Cuca, do Goiás.Aos 40 anos, o técnico que conseguiu transformar o lanterna do primeiro turno do Campeonato Brasileiro no destaque do segundo turno teria encantado Gouvêa na partida em que o Goiás goleou o São Paulo por 3 a 0. O contrato de Cuca teria um ano e ele viria apenas com seus dois auxiliares: Omar Feitosa e seu irmão Avlamir Stival.Rojas e Milton Cruz continuariam trabalhando no São Paulo em retribuição ao que fizeram, assumindo o time depois das negativas de Tite, Toninho Cerezo e Ricardo Gomes. ?Quero falar sobre contratação de treinador depois que disputarmos a última partida do Brasileiro. Estão falando que o Cuca já está contratado? Posso garantir que ainda não. Se ele faz parte da lista? Não temos lista. Se o São Paulo está interessado em contratar o Cuca? Não posso dizer. É muito cedo ainda?, dizia, em tom dúbio, o diretor de Futebol, Juvenal Juvêncio.Em Goiás, Cuca evita fazer qualquer comentário sobre os fortes comentários que assanhavam os conselheiros do São Paulo. O nome de Cuca foi bem recebido porque ele mostrou muita personalidade comandando o Goiás. E também porque é jovem e não teria condições de exigir alto salário.A diretoria do São Paulo havia combinado manter o sigilo sobre o nome que substituirá Rojas. Há cerca de dois meses há a certeza de que Rojas não seguiria no Brasileiro. Mesmo tendo cumprido a missão de levar o time até a Copa Libertadores, o chileno sempre foi visto como treinador improvisado.Depois da derrota desta quarta-feira, Rojas não quis dar entrevistas. Marca registrada do seu comportamento no São Paulo ? ele só fala com a imprensa em dias alternados, não importa o que aconteça.Leão, campeão brasileiro pelo Santos no ano passado e vice-campeão da Libertadores fala todos os dias. Leão esteve muito tempo na lista dos treinadores que interessavam Gouvêa. O grande problema sempre foi o seu alto salário. Tite está muito perto de levar o São Caetano para a Libertadores da América e não quer sair antes.O mandato de Portugal Gouvêa terminará em março. Treinadores experientes e em alta não aceitaram contrato de um ano sem a certeza de que o seu contratante permaneceria no cargo.Cuca foge à regra. Quer se firmar como treinador e aceitaria o risco de assumir o clube em ebulição. Embora tenha classificado o Goiás para a Copa Sul-Americana, ele não aceitou renovar seu contrato. Esperava a proposta de um clube tradicional.Além de Cuca, um jogador do Goiás interessa à diretoria do São Paulo: o meia Danilo. As conversações mal se iniciaram. A prioridade, no entanto, é o treinador. Se os comentários desta quinta-feira à noite estiverem certos, esse problema está resolvido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.