Fernando Remor/Mafalda Press
Fernando Remor/Mafalda Press

São Paulo e Joinville empatam em jogo movimentado

Partida registra muitas oportunidades, apesar do 0 a 0 entre os times

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

02 de setembro de 2015 | 21h37

Depois de duas vitórias seguidas, o São Paulo empatou por 0 a 0 com o Joinville, fora de casa, e desperdiçou a chance de se aproximar dos líderes. A igualdade foi o menor dos males, pois a equipe criou pouco, foi muito pressionada e levou três bolas na trave. Os desfalques pesaram diante do vice-lanterna e o time tem de comemorar o ponto conquistado fora de casa. No último lance, Pato chutou em cima do goleiro Agenor, mas a oportunidade foi a única criada pelo time no segundo tempo.

O técnico Juan Carlos Osorio já havia lamentado que teria de diminuir o rodízio de atletas por causa da falta de boas opções no elenco. Ontem, ainda teve de lidar com mais de uma dúzia de desfalques, entre eles, Rogério Ceni, Luiz Eduardo, Hudson, Rodrigo Caio e Luis Fabiano.

Por causa dessa escalação alternativa, o time demorou para impor o seu toque de bola mais cadenciado e, em vários momentos, esteve em apuros, principalmente no início do jogo. Foi preciso suportar a velocidade de uma equipe que compensava a limitação técnica com entusiasmo e dedicação. Só na metade do primeiro tempo conseguiu colocar a bola no chão e diminuir os erros de passe, graças à movimentação de Michel Bastos pela direita, e de Alexandre Pato, que levava vantagem sobre os travados zagueiros catarinenses na canhota. Foi por ali que o time conseguiu se aproximar do primeiro gol, quando Wilder Guisao acertou o travessão após chute que desviou no zagueiro.

Em um jogo marcado pela intensidade sem primor e pela correria sem drible, as chances foram escassas e ficaram espremidas no final do primeiro tempo. Edgard Junio cabeceou e a bola bateu nas duas traves, mas não entrou. Na continuação, Michel Bastos apareceu sozinho na cara de Agenor, escolheu o canto, mas chutou para fora.

Esse roteiro dos seguidos erros de finalização foi o mesmo de jogos anteriores. Aconteceu a mesma coisa contra Atlético-MG, Ceará e Flamengo. O time parecia ter melhorado na vitória contra a Ponte, mas os erros voltaram. Surtiram pouco efeito os treinamentos de arremate que o time fez nos últimos dias para tentar aproveitar as poucas chances que apareceram.

O Joinville retomou o controle do jogo novamente com a velocidade de quem luta para se manter na Série A. Sem paciência para construir jogadas, apostou nos cruzamentos e levou perigo aos 9 com Guti e principalmente com Edigar Junio que acertou a trave de novo, a terceira do jogo.

A atuação Ganso não conseguiu repetir a atuação eficiente de sábado para criar; Wesley esteve apagado e Centurión foi ainda menos efetivo que Wilder. Depois de um ano afastado dos gramados, Daniel Messi fez sua estreia, mas desperdiçou a única chance que teve. Assim como o São Paulo, que jogou fora a chance de se aproximar dos líderes do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA

JOINVILLE 0 X 0 SÃO PAULO

JOINVILLE - Agenor; Mario, Bruno Aguiar, Guti e Diego; Naldo, Fabrício (Danrlei), Kadu (Kempes) e Edson Ratinho, Marcelinho Paraíba Edigar Junio (Silvinho). Técnico: PC Gusmão.

SÃO PAULO - Renan Ribeiro; Bruno; Lyanco, Edson Silva e Reinaldo (Matheus Reis); Thiago Mendes, Wesley, Michel Bastos (Daniel) e Ganso; Wilder (Centurión) e Pato. Técnico: Juan Carlos Osorio.

CARTÕES AMARELOS - Alexandre Pato, Wesley, Edson Silva, Guti, Ratinho, Renan Ribeiro, Marcelinho Paraíba.

LOCAL - Arena Joinville, em Santa Catarina.

RENDA E PÚBLICO - Não divulgados.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.