São Paulo e Santos se unem contra CBF

As diretorias de São Paulo e Santos - que vinham de relações estremecidas já há algum tempo - decidiram unir forças e prometem abrir guerra contra a CBF. Os dois clubes estudam uma forma de evitar que seus jogadores sejam obrigados a atender às convocações para as seleções principal e Sub-20, anunciadas esta semana. Os dirigentes alegam que os dois clubes disputam fase decisiva da Copa Libertadores da América e seriam prejudicados se perdessem seus jogadores neste momento. O Tricolor teve cinco jogadores convocados para as duas seleções e o Santos três. O lateral-direito Cicinho foi chamado para a Copa das Confederações - competição marcada para o período de 15 de 29 de junho, na Alemanha. Teoricamente, o jogador ficaria de fora da equipe na segunda partida das quartas-de-final e nas duas semifinais da Libertadores. O goleiro Bruno, o zagueiro Edcarlos, o lateral Fábio Santos e o Diego Tardelli foram chamados para a Sub-20 - que disputa o Mundial da categoria na Holanda, entre 10 de junho e 2 de julho. Destes, Bruno é o único que não está inscrito na Libertadores ou no Brasileiro. Léo e Robinho também foram chamados para a Copa das Confederações, e estariam na mesma situação de Cicinho. Só voltariam a defender o Santos na hipótese de o time chegar à final da Libertadores. O superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, disse que conversou por telefone com o supervisor do Santos, Luiz Henrique Menezes sobre o assunto e revelou que os clubes estudam uma medida conjunta. ?Não é possível que os clubes sejam prejudicados desta maneira. O São Paulo não consegue uma folga no calendário para fazer jogos fora, numa forma de internacionalizar-se, só que a Seleção pode?, reclamou o dirigente em entrevista à Rádio Jovem Pan.?Os clubes formam os jogadores, pagam seus salários e quando mais precisam, têm de abrir mão para a Seleção. Isso não é justo. E dizer que a seleção paga o salário enquanto o jogador estiver lá não adianta. O ressarcimento do salário não quer dizer nada para mim?, acrescentou.Marco Aurélio Cunha teme que possa perder Tardelli e Edcarlos já para o segundo jogo das oitavas-de-final contra o Palmeiras. Com isso, o time ficaria com apenas 17 jogadores de linha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.