São Paulo em busca de título inédito

Considerado limitado pelos próprios torcedores, o time do São Paulo tenta provar que pode chegar longe, mesmo sem contar com estrelas. A grande chance de conquistar o primeiro triunfo no novo milênio e recuperar parte do prestígio, perdido nos últimos anos, é no Torneio Rio-São Paulo, cuja final começa a ser disputada neste quarta-feira, às 21h40, no Maracanã. A equipe paulista enfrenta o Botafogo, sabendo que vai decidir o título em sua casa, o Morumbi, na próxima quarta-feira."O título é uma valorização para todos nós", comentou o técnico Oswaldo Alvarez. Parte do elenco ainda não comemorou um título mais expressivo na carreira, como o lateral-esquerdo Gustavo Nery e o atacante Luís Fabiano, que será titular ao lado de França. Vadão também busca o reconhecimento. Sua única conquista foi a do Campeonato Paranaense, no ano passado, pelo Atlético.Para o clube, o Rio-São Paulo também tem um significado especial. O Tricolor nunca foi campeão da competição, que gozava de grande prestígio nas décadas de 50 e 60. Até a Portuguesa, que não vem disputando as últimas edições, já faturou o título duas vezes. O Botafogo, se vencer, aparecerá ao lado de Santos e Palmeiras na galeria dos maiores campeões da história do torneio, com cinco conquistas. Mas o que os dirigentes querem mesmo é a premiação que será dada ao primeiro colocado, R$ 3,4 milhões. O clube carioca tem muitas dívidas e anda atrasando o pagamento dos salários dos jogadores. O vice fica com R$ 2,8 milhões.Apesar da crise do adversário, Vadão não acredita que o São Paulo leve alguma vantagem. Segundo ele, o nível técnico dos dois times é parecido e, por isso, os confrontos da final, no Rio e em São Paulo, devem ser equilibrados. A final do Rio-São Paulo de 1998 também foi entre São Paulo e Botafogo. Os cariocas venceram no Morumbi por 3 a 2 e levaram o título ao empatar no Maracanã por 2 a 2. Dois jogadores que estiveram naquela decisão irão iniciar a partida de amanhã, França e Carlos Miguel.Empate bem-vindo - O técnico tricolor admitiu que um empate amanhã à noite será ótimo resultado, embora garanta que o time entrará em campo para vencer. A própria escalação mostra que o São Paulo será cauteloso. Além dos três zagueiros, Jean, Wilson e Rogério Pinheiro, atuará com mais dois jogadores de marcação no meio-de-campo, Alexandre e Maldonado. Carlos Miguel será o responsável pela armação das jogadas para França e Luís Fabiano concluírem."O empate não deixa de ser um bom resultado; é lógico que um placar elástico seria o ideal, mas é muita pretensão falar nisso numa final de campeonato", justificou Vadão. O volante Fabiano não poderá jogar por estar suspenso. Rogério Ceni, que viaja para os Estados Unidos com a seleção brasileira, será substituído, mais uma vez, por Roger. O zagueiro Reginaldo e o meia Souza, contundidos, permanecem fora do time.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.