São Paulo empata com o São Caetano por 1 a 1 no Morumbi

Adriano marca de cabeça, mas não é suficiente para dar a vitória; time fica fora da zona de classificação

André Rigue, estadao.com.br

07 de fevereiro de 2008 | 21h28

O São Paulo manteve a invencibilidade no Campeonato Paulista ao empatar nesta quinta-feira com o São Caetano por 1 a 1, em jogo disputado no Estádio do Morumbi, válido pela sétima rodada - a equipe é a que mais empatou na competição ao lado do Corinthians, com quatro.  Veja também: Após empate, Adriano pede paciência à torcida Resultados e calendário Classificação Bate-pronto: Decadência dos grandes ou ascensão dos pequenos? O resultado deixa o time do técnico Muricy Ramalho com 13 pontos, fora da zona de classificação para as semifinais. Já o São Caetano continua próximo da zona de rebaixamento. Com os inúmeros desfalques (Hernanes, Richarlyson, Juninho, Joílson e Dagoberto), o Muricy colocou o São Paulo no esquema 3-5-2, um pouco mais reforçado na marcação. No ataque, Borges foi o companheiro de Adriano - Aloísio ficou no banco por não ter condições físicas para agüentar os 90 minutos. Apesar do pequeno público, o São Paulo começou animado. Logo aos 3 minutos, o atacante Adriano arriscou de fora da área, aproveitando o gramado molhado. A bola, no entanto, foi torta e por sobre a meta do goleiro Luiz. A pontaria, aliás, foi o grande problema de ambos os ataques no primeiro tempo. O São Caetano, que no ano passado eliminou o São Paulo nas semifinais do Paulistão, se preocupou apenas na marcação. E o time do ABC concluiu com êxito sua proposta na primeira etapa. O único grande susto aconteceu aos 21 minutos, quando o são-paulino Zé Luis cabeceou na pequena área e resvalou a bola na trave de Luiz. Depois deste lance, o jogo caiu de produção e os poucos torcedores que foram ao Morumbi bocejaram. Para SÃO PAULO1Rogério Ceni; André Dias, Alex e Miranda; Reasco, Zé Luiz, Fábio Santos    , Jorge Wagner e Júnior (Carlos Alberto); Borges (Aloísio) e Adriano    Técnico: Muricy RamalhoSÃO CAETANO1Luiz; Wilton Goiano, Edson Borges, Neto e João Victor (Ademir Sopa); Tobi    , Galiardo    , Douglas e Hernani    ; Canindé (Luan) e Tico (Athos) Técnico: Amauri KnevitzGols: Adriano, aos 29, e Douglas, aos 36 minutos do segundo tempoÁrbitro: Guilherme Cereta de LimaRenda: R$ 95.105,00Público: 6.171 pagantesEstádio: Morumbicomplicar ainda mais, o atacante Borges deixou o campo após sentir-se mal (segundo os médicos do São Paulo, o jogador teve tonturas). Aloísio, mesmo sem estar 100%, foi para o gramado. Se no primeiro tempo a partida deu sono, na etapa complementar a situação foi bem diferente. O São Caetano foi para o ataque e deu muito trabalho à defesa do São Paulo, a melhor do Paulistão. Logo aos 4 minutos, o meia Douglas, livre, recebeu bola na pequena área e chutou no canto direito de Rogério Ceni - a bola tirou tinta da trave. Inspirado, Douglas ainda acertou uma bola na trave de Ceni aos 10 minutos, após se livrar de um marcador e chutar de fora da área. A resposta do São Paulo aconteceu quatro minutos depois. O equatoriano Reasco (que voltou após seis meses, recuperado de lesão) cruzou e Adriano desviou com o pé, quase surpreendendo Luiz. Se com o pé Adriano não teve sucesso, o Imperador utilizou a cabeça para abrir o placar para o São Paulo. Aos 29 minutos, Jorge Wagner cobrou escanteio e o atacante ganhou a disputa com a zaga do time do ABC, mandando para as redes - foi o quarto gol de Adriano com a camisa tricolor. Mas a comemoração são-paulina durou pouco. Aos 36 minutos, o volante Zé Luiz, atabalhoado, derrubou o atacante Luan dentro da área - o jogador do São Caetano tinha acabado de entrar. Na cobrança do pênalti, Douglas acertou o canto superior esquerdo de Ceni, indefensável. No final, Ceni ainda teve uma chance para marcar o segundo. Em cobrança de falta, aos 41 minutos, o goleiro acertou a trave. O empate deixa o São Paulo com aproveitamento de 62% - é o melhor entre os grandes clubes do Estado. O próximo rival do time tricolor será o Santos, em clássico que acontecerá no Morumbi, neste domingo, às 16 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.