São Paulo empata com o Sportivo Luqueño no Paraguai

Com um gol aos 46 minutos do 2.º tempo, equipe paraguaia se salva de derrota praticamente certa

Rafael Argemon, estadao.com.br

20 de março de 2008 | 21h23

No 50.º jogo de Rogério Ceni vestindo a camisa do São Paulo em Copas Libertadores, o time são-paulino não teve lá muito o que comemorar, pois cedeu um empate, na noite desta quinta-feira, por 1 a 1 com o Sportivo Luqueño, no Paraguai, que conseguiu se salvar de uma derrota praticamente certa com um gol aos 46 minutos do segundo tempo. Mesmo com este resultado, os comandados de Muricy Ramalho chegam a liderança do Grupo 7, mas com apenas um ponto de vantagem para os colombianos do Atletico Nacional. Veja também: Jogadores do São Paulo lamentam gol sofrido nos acréscimos Classificação Calendário e resultados da Libertadores Muricy entrou com um São Paulo diferente do que de costume. Abandonou o esquema 3-5-2 e partiu para o 4-4-2 sendo que Eder Luís, atacante de ofício, atuava de meia. Juninho, que havia ido muito mal no clássico contra o Palmeiras, foi sacado para a entrada de Éder na lateral-direita. E Richarlysson acabou sendo empurrada mais para o meio, dando mais liberdade para Jorge Wagner poder criar as jogadas. Porém, as mudanças, que pareciam bem interessantes na teoria, não surtiram o efeito desejado pelo treinador são-paulino. Pelo menos na primeira metade do jogo.  O primeiro tempo foi muito fraco tecnicamente, com uma certa vantagem para o São Paulo, que pelo menos teve algumas chances de mais perigo, mas abusou dos chutes de fora da área, jogada que não surtia muito efeito. O Sportivo Luqueño apostou nos cruzamentos, principalmente da direita, com o lateral Paniagua, mas não assustaram o goleiro Rogério Ceni uma vez sequer. Por conta da contusão de Miranda - que se deu mal numa disputa no alto com o atacante Lazaga -, além do mal futebol mostrado na primeira etapa, Muricy voltou ao seu tradicional 3-5-2, com Rycharlysson voltando à lateral-esquerda e Zé Luís voltando para compor a zaga com André Dias e Juninho. Outro que entrou foi Aloísio, que substituiu Borges.Sportivo Luqueño1García; Paniagua, Servín, Martínez e Román; Esquivel (Hermosilla), Quintana (Romero), Núñez e Abente (Duarte); Charles e LazagaTécnico: Daniel LanataSão Paulo1Rogério Ceni; Éder, André Dias, Miranda (Juninho) e Zé Luís; Hernanes, Richarlyson, Jorge Wagner e Éder Luís (Carlos Alberto); Borges     (Aloísio) e AdrianoTécnico: Muricy RamalhoGols: Aloísio, aos 14 minutos, e Duarte, aos 46 do segundo tempoÁrbitro: Sérgio PezzotaRenda: Não InformadoPúblico: Não InformadoEstádio: Feliciano Cáceres E o veterano atacante logo deixou sua marca aos 14 minutos. Eder cruzou da direita e logo em seu primeiro toque na bola, Aloísio saltou na frente da zaga paraguaia e acertou uma ótima cabeçada no canto esquerdo de García. No desespero, o Luqueño partiu para cima, e pouco depois do gol são-paulino, quase empata com um belo chute colocado do atacante brasileiro Charles - que já jogou no São Paulo -, que obrigou Rogério Ceni a fazer uma defesa incrível. O São Paulo passou a tocar a bola com tranqüilidade e nervosos, os jogadores do Luqueño erravam muitos passes, facilitando para os brasileiros. Porém, quando tudo indicava uma vitória são-paulina, após um bate e rebate na área dos visitantes, a bola sobrou para Duarte, que acertou um ótimo chute cruzado que venceu Rogério Ceni.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.