Pilar Olivares/Reuters - 28/04/2010
Pilar Olivares/Reuters - 28/04/2010

São Paulo empata com o Universitario pela Libertadores

Resultado de 0 a 0 dá vantagem ao clube tricolor de jogar por uma simples vitória em casa para se classificar

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

28 de abril de 2010 | 21h28

Sem brilho algum, mas eficiente, o São Paulo empatou em 0 a 0 com o Universitario na noite desta quarta-feira, em Lima, no Peru, na primeira partida válida pelas oitavas de final da Copa Libertadores.

O jogo de número 900 da carreira do goleiro Rogério Ceni poderia ter tido um desfecho mais interessante, mas o empate é visto com bons olhos, já que uma simples vitória na próxima terça, às 19h30, no Morumbi, é o suficiente para garantir o São Paulo nas quartas de final, quando terá pela frente o vencedor do confronto entre Cruzeiro e Nacional (URU).

Apesar do empate fora de ter sido bom, o resultado denota a falta de ambição do técnico Ricardo Gomes, mesmo perante um fraco adversário como o Universitario, que nada fez durante toda a partida. Até a torcida adversária, em bom número no Monumental de Lima, não foi fator preponderante para pressionar a equipe brasileira.

A falta de ambição do técnico tricolor, no entanto, não foi evidente no primeiro tempo. Com três jogadores no ataque, Marlos, Dagoberto e Washington, o São Paulo teve duas claras chances para abrir o placar. A primeira aconteceu logo aos seis minutos, quando Cicinho arriscou chute de fora da área e a bola bateu na trave direita. Já a segunda foi aos 28, quando Marlos driblou o goleiro, mas demorou muito e, quando optou pelo passe para Washington, cruzou nos pés de Llontop.

Rogério Ceni, o "aniversariante do dia", foi mero espectador na primeira etapa, tendo apenas o trabalho de orientar o setor de marcação são-paulina, que aparenta estar novamente em sintonia, mesmo com a entrada de Jean na lateral-direita no lugar do machucado Cicinho.

 Universitario-PER 0
Llontop; Carmona (Miguel Torres), Galván, Revoredo e Rabanal    ; Torres    , Vazquez (Días), González (Hernandez)e Espinoza    ; Píriz e Alva   
Técnico: Juan Reynoso
 São Paulo 0
Rogério Ceni    ; Cicinho (Jean    ), Alex Silva, Miranda e Richarlyson    ; Rodrigo Souto, Hernanes, Jorge Wagner e Marlos (Júnior César); Dagoberto e Washington (Renato Silva)
Técnico: Ricardo Gomes
Árbitro: Saúl Lavernil (ARG)

Renda: Não disponível

Público: Não disponível

Estádio: Monumental de Lima, em Lima (PER)

Estranhamente, o São Paulo optou simplesmente em se defender e se contentar com o empate sem gols, ainda mais após a expulsão de Richarlyson, aos 20 minutos, fazendo Ricardo Gomes tirar Marlos para recompor o setor defensivo com Júnior César. A saída de Washington, que poderia ter sido mais interessante, só ocorreu aos 39 minutos, mas para a entrada de um zagueiro: Renato Silva, recuperado de lesão.

Mesmo com a tentativa de fechar a equipe, Ricardo Gomes viu o São Paulo criar as duas únicas chances no segundo tempo após tal alteração. Uma num chute de Miranda, quando a bola só não entrou porque a zaga adversária estava atenta, e outra numa cabeçada de Rodrigo Souto, exigindo boa defesa do goleiro Llontop, garantindo o empate no primeiro embate entre os dois times.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.