Fabiano Mesquita/FramePhoto
Fabiano Mesquita/FramePhoto

São Paulo empata com Sport e conquista 1º ponto fora no Brasileiro

Sem brilho, tricolor fica no 0 a 0 com pernambucanos em jogo disputado na Ilha do Retiro

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2017 | 21h33

Sem brilho e abusando dos erros, o São Paulo apenas empatou com o Sport, em Recife, e conquistou seu primeiro ponto fora de casa no Campeonato Brasileiro. Antes, o time tinha atuado três vezes nos campos dos rivais e perdido todas as vezes.

Mesmo visitante, o São Paulo começou bem e teve as melhores chances de gol no início da partida. O meia Thomaz, aos 5, se livrou da marcação e chutou, mas a bola passou por cima do gol. Mais tarde, ele deu um ótimo lançamento para Wellington Nem, só que o atacante dominou mal a bola, desperdiçando grande oportunidade.

A partida da metade do período, o Sport melhorou e assumiu o controle da partida. A mudança de postura dos pernambucanos fez com que o time paulista passasse a apostar nos contra-ataques. A melhor chance da equipe da casa veio com André, que chutou forte e obrigou Renan Ribeiro a fazer ótima defesa.

O Sport pressionava, empurrado pelos gritos do técnico Vanderlei Luxemburgo na beira do campo, e a defesa do São Paulo se defendia como dava. E antes do intervalo, em uma boa chance dos paulistas, Marcinho cruzou para a área, Pratto dominou, mas chutou desequilibrado, com perigo, para fora.

No segundo tempo, os dois treinadores começaram a mexer na equipe e estabeleceram um duelo tático entre um veterano como Luxemburgo, que tem muitos títulos no currículo, e um que está no início de sua trajetória como treinador, que é Rogério Ceni. O comandante do Sport colocou Everton Felipe no time, a fim de melhorar a criação, e o rival deu a resposta abrindo mão dos três zagueiros.

Na mudança de postura do time, Ceni empurrou Militão para o meio, como volante, colocou Wesley para atuar na lateral-direita e moveu Marcinho, que vinha de ala, para ser um atacante pela ponta. Só que o gramado ruim atrapalhava os dois times, que abusavam dos passes errados e não conseguiam criar boas chances.

No Sport, André era o mais perigoso. Logo no primeiro minuto da etapa final, ele cabeceou com perigo, para fora. Pouco depois, ele se movimentou nas costas de Maicon, que não o acompanhou, e chutou, mas Renan Ribeiro salvou novamente o São Paulo. Aos poucos, os visitantes foram melhorando, mas sem acertar o contra-ataque.

No final, Ceni foi para o tudo ou nada e colocou Gilberto para atuar ao lado de Pratto. Luxemburgo também apostou no jovem Juninho no lugar de Osvaldo, a fim de pressionar e buscar a vitória. O duelo seguiu equilibrado, com as defesas se prevalecendo e os atacantes passando em branco, mesmo com a ótima cabeçada de Gilberto nos acréscimos que Magrão defendeu.

Na próxima rodada, o São Paulo recebe o Atlético-MG, no Morumbi, e vai tentar manter seu ótimo aproveitamento em casa. O time tem três vitórias em três jogos, mas vai encarar  um adversário que vem de resultado negativo, com campanha ruim e que busca a reabilitação.

FICHA TÉCNICA:

SPORT 0 x 0 SÃO PAULO

SPORT: Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Sander; Patrick, Rithely e Thallyson (Everton Felipe); Thomás (Rogério), André e Osvaldo (Juninho). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Militão, Maicon e Lucão; Marcinho, Jucilei, Cícero (Lucas Fernandes) e Junior Tavares;  Wellington Nem (Gilberto), Pratto e Thomaz (Wesley). Técnico: Rogério Ceni.

Juiz: Héber Roberto Lopes (SC).

Cartões amarelos: André e Cícero.

Renda: R$ 278.755,00.

Público: 11.904 pagantes.

Local: Ilha do Retiro, em Recife.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.