São Paulo encara duelo contra Atlético-PR como decisão

A teoria de que não existe decisão no campeonato de pontos corridos não vale para o São Paulo. Desta quarta-feira até o dia 7 de dezembro, o clube tricolor disputará 18 finais no Brasileiro. A primeira é contra o Atlético Paranaense, no Morumbi, pela 21.ª rodada. Com 11 pontos de desvantagem para o líder Grêmio, os são-paulinos não têm mais alternativa para continuar com chances de conquistar o hexa.O técnico Muricy Ramalho garante que o time está pronto para reagir e se irritou ao ser questionado se trabalhar o lado psicológico seria importante neste momento para motivar os jogadores. ?Aqui ninguém precisa de psicólogo. Em outro clube até pode ser. Aqui, não. O cara tem tudo. Estar motivado é mais do que obrigação?, afirmou.A preocupação é tática. Sem o tão desejado meia, o time, quando bem marcado, não consegue jogar. Foi o que aconteceu contra o Grêmio. ?Eu só falo de quem está aqui?, respondeu ao ser questionado sobre se a chegada de um reforço para o setor de criação era fundamental para o time melhorar. Os últimos nomes de possíveis reforços que surgiram foram do argentino Diego Valeri e do uruguaio Ignácio Gonzalez.A verdade é que o São Paulo se tornou uma equipe previsível. Sem um meia, o time faz ligação direita dos zagueiros com os atacantes. A bola não passa pelo meio-de-campo. Além disso, por ter três canhotos entre os titulares (Richarlyson, Hugo e Jorge Wagner), acaba sempre atacando pelo mesmo lado, o que facilita para o adversário.O São Paulo tentará ser diferente para continuar sonhando com o título. Mas não é só isso que preocupa. O grupo já vê a vaga na Libertadores ameaçada. Na última rodada, o São Paulo foi ultrapassado pelo Botafogo e está em quinto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.