São Paulo encara trauma do mata-mata

O São Paulo começa a viver uma nova decisão nesta quarta-feira, às 21h40, no Morumbi. Depois dos fracassos na Copa do Brasil e no Campeonato Paulista, há um novo mata-mata pela frente, desta vez pela Copa Sul-Americana. O adversário é o Fluminense. E o vencedor da série (a segunda partida será quarta-feira que vem, no Rio) participará da parte internacional da competição, enfrentando o vencedor de San Lorenzo, da Argentina, e The Strongest, da Bolívia."Os repórteres sempre perguntam sobre essas decisões que perdemos no passado. Eu fico um pouco incomodado, mas não dá para fugir disso. Perdemos mesmo e as desconfianças só vão terminar quando a gente for campeão em um mata-mata", conforma-se o lateral Fabiano.É o mesmo raciocínio de Fábio Simplício. "A cobrança existe e só vai parar quando a gente vencer. Tomara que seja logo", diz o volante.Ricardinho garante que não se incomoda com o retrospecto negativo. "Estatística não pode ser o elemento fundamental do nosso trabalho, seja ela boa ou ruim. A gente tem é de lutar para vencer o Fluminense, sem pensar no passado."Os jogadores nem pensam em uma goleada. "O importante é vencer e jogar pelo empate no Rio. Pode ser por 1 a 0 que já está bom", avisa Ricardinho.Se no final do jogo o São Paulo estiver vencendo por 1 a 0, o meia não vê a necessidade de atacar desesperadamente para conseguir o segundo gol e, conseqüentemente, uma vantagem maior. "Tudo depende de como o jogo estiver. Pode ser que ataquemos, pode ser que não", afirma Ricardinho.O elenco são-paulino vê perigos insuspeitos no Fluminense. "Eles vão jogar retrancados, para decidir depois no Maracanã. Não vai ser fácil passar pela retranca", prevê Fábio Simplício."O Flu é um time rápido e o Carlos Alberto joga muito bem. Temos de tomar cuidado com o time todo. Sorte que o Romário não joga", analisa Ricardinho.A Copa Sul-Americana, antes tão desprestigiada, começa a ganhar importância à medida em que as rodadas se sucedem. "Nossa prioridade continua sendo o Brasileiro, todo mundo sabe disso. Mas se temos um jogo por outro torneio, entramos com toda a responsabilidade de vencer. Nessa quarta-feira, o pensamento é todo na Copa Sul-Americana", garante Ricardinho.O técnico Roberto Rojas escalou o mesmo time que enfrentou o Figueirense em Santa Catarina, domingo, pelo Brasileiro. O atacante Kléber, que participou dos seis gols do São Paulo na Sul-Americana - fez dois e deu passe para quatro -, é titular, junto com Luís Fabiano. Simplício e Jean, suspensos no Brasileiro, vão jogar. "Quero o time completo para render o máximo", explica o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.