São Paulo enfrenta altitude em busca de reabilitação

O Cienciano será apenas um dos adversários do São Paulo nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), pela penúltima rodada do Grupo 1 da Libertadores. Além dos 11 jogadores do time peruano, o time de Muricy Ramalho enfrenta ainda o enjôo e a falta de ar provocados pelos 3.350 metros de altitude da cidade, que há muitos séculos foi a grande metrópole da civilização inca.O São Paulo, que vem de duas derrotas seguidas por 2 a 1 para o Chivas, no México e no Morumbi, e soma 6 pontos, contra 10 dos mexicanos, 4 do Caracas, da Venezuela, e 3 dos peruanos. Se vencer, praticamente assegura sua classificação e ainda pode sonhar com o primeiro lugar da chave, que tem a vantagem de decidir em casa o confronto das oitavas-de-final.Se empatar ou perder, terá de decidir sua classificação contra o Caracas, em casa, na próxima semana, possivelmente precisando da vitória. O time venezuelano joga também nesta terça, às 19h30 (de Brasília), contra o Chivas, que estará desfalcado de seis titulares, que já treinam com a seleção mexicana para a Copa do Mundo.O Cienciano aposta suas últimas esperanças em busca de uma vaga na próxima fase no técnico novo: Julio Cesar Uribe, ex-jogador da seleção peruana. "Vamos lutar até a morte, com honra", avisa.O Paulista também joga sua cartada final na Libertadores nesta quarta-feira. O adversário é o Libertad, líder do Grupo 8, e o jogo será em Assunção, às 19h30 (de Brasília). Se vencer, o time do técnico Vágner Mancini empata com o rival, com 8 pontos, e deixa a decisão de vaga para a última rodada, quando enfrenta, em casa, o El Nacional, que provavelmente apenas cumprirá tabela. O time equatoriano tem apenas dois pontos, e recebe nesta quarta o River Plate, às 21h45 (de Brasília), em Quito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.