São Paulo enfrenta ?buzinaço? na Venezuela

A surpreendente paz encontrada pelo São Paulo na chegada a San Cristóbal para a partida desta quarta-feira, contra o Deportivo Táchira, não durou muito. Durante toda a noite, torcedores venezuelanos fizeram enorme barulho diante do hotel onde está concentrado o time brasileiro, numa tentativa de debilitar ao máximo os jogadores do Tricolor. Houve buzinaço sob as janelas dos quartos e carros de som circularam pelas ruas próximas. Antes disso, durante o dia, o elenco são-paulino foi impedido de treinar no estádio Pueblo Nuevo. Apesar disso, será pouco provável que o São Paulo volte da Venezuela desclassificado. O time brasileiro venceu o primeiro jogo por 3 a 0 e hoje pode atér perder por dois gols de diferença. Três gols de diferença leva a decisão para os pênaltis. ?O jogo ainda está muito longe. Mas eu não tenho nenhuma dúvida: o bicho vai pegar no estádio?, disse ontem, o técnico Cuca, antes mesmo de ficar sabendo que o time não poderia treinar no estádio do jogo. Cuca não espera exatamente uma guerra, nem preparou a sua equipe para isso. Ele entende que seria um grande risco para o São Paulo entrar em campo achando que o jogo terá o significado de uma batalha. ?Esse é o tipo do jogo que não dá para a gente prever nada. O time vai entrar em campo para jogar futebol. Se puser em prática o que foi trabalhado, volta para casa com a classificação.? É praticamente certo que o São Paulo jogue com três zagueiros. Sem Gabriel, expulso no Morumbi, Cuca deve montar a defesa com Fabão, Diego Lugano e Rodrigo. Luís Fabiano, Danilo, Gustavo Nery e Alexandre, poupados no domingo, contra o Cruzeiro, no Mineirão, estão confirmados. A escalação oficial, porém, só sairá momentos antes da partida. Cuca não é de fazer mistérios mas concluiu que pela importância do jogo vale a pena deixar uma ponta de dúvida na cabeça dos venezuelanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.