São Paulo enfrenta o Figueirense de olho no líder Cruzeiro

Vitória mantém Tricolor com o líder em seu radar; time tem muitos desfalques e 'quadrado mágico' pela metade

Fernando Faro e Rafael Thomé, O Estado de S. Paulo

31 de agosto de 2014 | 06h10

As quatro vitórias consecutivas e o bom volume de jogo apresentado colocaram o São Paulo como novo candidato a perseguidor do líder Cruzeiro, mas se quiser manter sua caça aos mineiros não há outra saída a não ser bater o Figueirense neste domingo, 31, no Orlando Scarpelli. Um bom resultado cacifa o time a tentar quebrar a hegemonia rival e amplia o bom momento na temporada.

Se a primeira parte da excursão catarinense foi insatisfatória após a derrota para o Criciúma na estreia da Copa Sul-Americana, ao menos o prognóstico é de uma apresentação melhor hoje já que o Tricolor contará com os retornos de Rafael Toloi, Denilson, Alan Kardec e Kaká, todos poupados na quinta-feira. Sem os titulares, o time sofreu para criar jogadas e foi facilmente marcado.

"A cabeça estava aqui, mas é preciso ser inteligente e pensar na frente. Se estivéssemos com todos os jogadores, teríamos mais facilidade", disse Muricy Ramalho ao reconhecer que a competição nacional, ao menos por ora, será a prioridade da equipe. Como vem sofrendo com desfalques recorrentes, o treinador se viu obrigado a dar descanso a alguns jogadores para que o time suporte o forte desgaste físico imposto pelo esquema de jogo altamente ofensivo.

A notícia ruim é que somente metade o quarteto ofensivo estará em campo. Alexandre Pato e Paulo Henrique Ganso, suspensos, deixarão Kaká e Kardec ‘órfãos’ na responsabilidade de criar as jogadas. A tendência é que Ademilson e Michel Bastos sejam os substitutos. O camisa 7, um dos destaques contra o Criciúma com uma assistência para Pato, espera dar continuidade ao momento.

"Trabalho para isso. Espero ajudar de novo a minha equipe a marcar um gol. Por isso, quero trabalhar cada vez mais e, assim, conquistar o meu espaço”, ponderou o camisa 7. Quem também está fora é Alvaro Pereira, que  também cumpre suspensão, e pode dar lugar a Reinaldo.

Os desfalques devem tornar a vida do Tricolor ainda mais complicada já que o Figueirense vem em recuperação e curte uma invencibilidade de cinco partidas que tiraram o time da lanterna e o afastou da zona de rebaixamento. "É um bom time, sempre joga bem em casa e está num bom momento. Será um bom jogo", projetou Muricy.

ENTREGA

Embalado e com a autoconfiança em dia após escapar das últimas posições, o Figueirense promete atacar o São Paulo apesar de reconhecer a força do adversário. Para o técnico Argel Fucks, o time precisará de muito esforço para continuar subindo na classificação.

"É um jogo duro, pesado. Teremos que seguir como o mesmo Figueira que a gente tem sido, um time de entrega, de espírito. A gente joga igual dentro e fora de casa e é assim que vamos jogar ", disse.

FIGUEIRENSE

Já pela equipe catarinense, mais do que vencer o vice-líder do Campeonato Brasileiro, o clube do sul espera consolidar a boa campanha após a Copa do Mundo.

Na 12.ª posição, com 20 pontos, a equipe está fora da zona de rebaixamento há duas rodadas e, em caso de vitória, pode figurar pela primeira vez entre os 10 melhores colocados na tabela de classificação.

Se é grande a ambição do Figueirense no torneio, é grande também o desafio diante dos paulistas. Na visão do técnico Argel Fucks, nem mesmo as ausências de Paulo Henrique Ganso e Alexandre Pato diminuem o poderio do ataque que já marcou 28 gols no Brasileirão. "Não é à toa que estão na vice-liderança. Se não joga Ganso ou Pato, entra o Kaká e o (Alan) Kardec. Eles têm peças de reposição e o Muricy (Ramalho) preserva muito o coletivo", disse o treinador.

Preocupações à parte, o triunfo sobre o Vitória na última rodada deu confiança à equipe, que deve ser quase a mesma diante do São Paulo. A única mudança fica por conta da dupla de volante, já que Rivaldo está suspenso e Luan rompeu os ligamentos do joelho direito, fato que o tira do restante da temporada.

FIGUEIRENSE X SÃO PAULO

Domingo, às 16 horas, no Orlando Scarpelli

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio

TV: Globo e Band

FIGUEIRENSE:  Tiago Volpi, Leandro Silva, Thiago Heleno, Marquinhos e Roberto Cereceda; Paulo Roberto, Dener, Marco Antônio e Giovanni Augusto; Clayton e Marcão. Técnico: Argel Fucks

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Reinaldo; Souza, Denilson, Michel Bastos e Kaká; Ademilson e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.