Alex Silva/Estadão<br>
Alex Silva/Estadão

São Paulo enfrenta o Goiás para encostar no Cruzeiro e 'sonhar'

Depois de cair para 4º no Brasileirão, time paulista precisa de vitória para voltar a ser 2º e deixar em cinco a desvantagem para o líder

FERNANDO FARO, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2014 | 07h32

Há dois prismas pelos quais se pode analisar o jogo do São Paulo contra o Goiás, nesta segunda-feira, às 20h30, no estádio do Morumbi, em São Paulo, pela 31.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os pessimistas dirão que o time entra pressionado pela vitória dos rivais, que o derrubaram para a quarta colocação na tabela de classificação. Os otimistas veem a chance de reduzir para cinco pontos a diferença para o Cruzeiro, que empatou com o Figueirense no último sábado.

Só será possível descobrir quem terá razão ao término da partida. Graças às eleições e ao clássico entre Palmeiras e Corinthians disputado no Pacaembu, coube ao time tricolor encerrar a rodada em um dia pouco habitual e ter a possibilidade de saber exatamente a sua situação de acordo com o resultado que obtiver em campo.

O cenário atual já é conhecido e já se repetiu outras vezes: uma vitória volta a dar vida ao Brasileirão e coloca o Cruzeiro mais uma vez sob pressão. Acontece que quase sempre que teve essa oportunidade, a equipe acabou tropeçando; a última vez aconteceu justamente na rodada passada, quando o São Paulo não passou de um empate com a Chapecoense e não tirou proveito da igualdade do líder com o Palmeiras, no Mineirão.

"Temos que focar nos nossos jogos e esquecer o Cruzeiro", receitou Michel Bastos, que ocupará a vaga do suspenso Kaká. É com essa mentalidade que os jogadores esperam entrar em campo e, desta vez, conseguirem fazer valer a chance de se aproximar um pouco mais do líder. "Sabemos que é difícil, mas ainda temos chance".

Embora tenha o favoritismo por jogar em casa, o clube tricolor coleciona problemas para a partida. Além de Kaká, o técnico Muricy Ramalho não poderá contar com Paulo Miranda e Rafael Toloi, suspensos, e Alexandre Pato, machucado. Antonio Carlos entra na zaga e Auro e Hudson disputam uma vaga na lateral. No ataque, Luis Fabiano terá mais uma chance de começar jogando e tentar reencontrar a grande fase do primeiro semestre, interrompida por dois estiramentos musculares.

"É um jogo muito importante. Os adversários que estavam abaixo estão mais próximos e precisamos vencer de qualquer jeito", disse o atacante ao site oficial do clube. Ele estará ao lado de Alan Kardec, que tenta encerrar um jejum de 11 partidas sem balançar as redes.

Mais uma vez, o desgaste surge como principal vilão. Com a partida postergada para esta segunda, serão três jogos na semana; dois fora de casa - além do duelo contra o Emelec, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana, na quinta, o São Paulo encara o Criciúma, no Brasileirão, no domingo, uma sequência que está assustando Muricy Ramalho. "É uma coisa terrível, mas que só acontece no Brasil", disse.

No fim de semana, o treinador poupou Alan Kardec, Souza e Edson Silva para preservar o trio, bastante desgastado fisicamente. Eles, no entanto, não serão problema para o duelo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSão Paulo FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.