São Paulo entra com representação contra o Palmeiras no TJD

Diretoria tricolor pede punição ao rival por supostos incidentes antes e durante o jogo, como o gás no vestiário

Redação,

22 de abril de 2008 | 20h15

Ao que parece, a diretoria do São Paulo não pretende esquecer os incidentes ocorridos antes e durante a segunda partida da semifinal do Campeonato Paulista diante do Palmeiras, que avançou à final com uma vitória por 2 a 0, no último domingo, no Palestra Itália. Nesta terça-feira, o clube tricolor confirmou o envio de uma representação pedindo ao TJD-SP providências.Veja também: Revoltado com gás, Muricy Ramalho critica Luxemburgo  Presidente do Palmeiras confia na conquista do título Sérgio estuda as opções, com a confirmação do jogo em Campinas TV ESTADÃO: debate sobre as finais do Paulistão Luxemburgo prega respeito na final contra a Ponte Vote: qual time vai ser o campeão de 2008? No documento, que é assinado pelo advogado do clube, Roberto Armelin, a diretoria do São Paulo listou todos os problemas que teriam ocorrido no Palestra Itália, deixando claro que sugere a denúncia, por parte da procuradoria do TJD-SP, do Palmeiras sob o artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (deixar de tomar providências capazes de prevenir ou reprimir desordens em sua praça de desporto), que prevê a perda de uma a três partidas, além de uma multa entre R$ 50 mil e R$ 500 mil.A diretoria são-paulina, além do incidente do gás no vestiário, também lista outros acontecimentos que, de acordo com sua visão, foram prejudiciais ao clube e à partida. Dentre eles destaca-se a participação de membros da torcida organizada Mancha Alviverde no sorteio do árbitro da partida, na última quinta-feira. Independente da representação do São Paulo, o procurador do TJD-SP, Antônio Carlos Meccia, fez uma vistoria no Palestra Itália, nesta terça-feira, e o próximo passo será a análise de fotos e interrogatórios com testemunhas convocadas pelo tribunal."A vistoria foi concretizada e agora vamos analisar fotos e passar às testemunhas. Eu já convoquei cinco pessoas e a intenção é que sejam ouvidas amanhã [quarta-feira]. As investigações continuarão", disse Meccia, em entrevista à Rádio Globo.As cinco pessoas a serem interrogadas pelo procurador do TJD-SP são o coronel Carlos Botelho, que foi o responsável pela ação da Polícia Militar no Palestra Itália, o vice-presidente da FPF, Roberto Cicivizo Júnior, o responsável pela fiscalização do clássico, Darcio Marques da Silva, o ouvidor da FPF, Edson Ramos da Silva, e o chefe de segurança do Palmeiras, Izildo Feres.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.