Ayrton Vignola/AE - 6/1/2011
Ayrton Vignola/AE - 6/1/2011

São Paulo espera fechar contratação de Rivaldo neste sábado

Meia-atacante de 38 anos depende de conseguir um presidente para o Mogi Mirim

MARCIUS AZEVEDO, Jornal da Tarde

21 de janeiro de 2011 | 18h23

SÃO PAULO - A contratação do meio-campo Rivaldo, de 38 anos, foi aprovado pela comissão técnica do São Paulo e, assim, o que separa o pentacampeão do Morumbi é apenas o sim do jogador. Com uma proposta de R$ 100 mil mensais por um contrato até dezembro, o pernambucano só precisa colocar alguém em seu lugar para presidir o Mogi Mirim. A expectativa é que tudo seja resolvido neste sábado.

"É uma situação que está nas mãos do Juvenal (Juvêncio, presidente do São Paulo). Eu gosto e aprovo. O Rivaldo é um nome consagrado e pelo que sabemos está em ótima forma. Para curto prazo é uma boa", afirmou o vice-presidente de Futebol Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que estava presente ao encontro no qual o nome de Rivaldo foi aprovado.

Tudo começou como uma ideia depois de um encontro com Rogério Ceni, ganhou força após uma reunião entre os cardeais são-paulinos. A possibilidade da chegada de Rivaldo, que veio à público na quinta-feira, repercutiu positivamente entre os torcedores.

O diretor de Futebol João Paulo de Jesus Lopes, que explicou como surgiu o interesse em Rivaldo. "No domingo, o Rogério teve uma conversa amistosa com o Rivaldo. Ele cumprimentou o Rogério, porque jogaram juntos na Copa do Mundo (de 2002). O Rogério o elogiou e disse que seria bom tê-lo um dia ‘entre nós’", contou o dirigente.

Aprovado. As declarações do técnico Paulo César Carpegiani deixaram claro que ele teve uma impressão parecida em relação ao jogador. "Vimos o Rivaldo, ele está fininho, inteiro. Se cuida, não teve quase lesões na carreira. É uma pena que não podemos vê-lo jogar, por um problema de papelada", comentou.

"É um craque, um fora de série. A idade pesa um pouco, mas não significa muito. Você vê que ele está inteiro. Agora, se está jogando a mesma bola, eu não saberia responder. Tenho preferência sempre pelo grande jogador. Gosto de ter o craque no time", completou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.