Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

São Paulo espera ter Wesley no começo do ano que vem

Tricolor aguarda apenas o volante ser dispensado do Palmeiras para assumir acordo com o jogador

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2014 | 16h23

O São Paulo espera apenas a situação de Wesley se definir no Palmeiras para anunciar a contratação do jogador para a próxima temporada. A novidade é que o volante pode chegar já no início do ano caso ele seja dispensado pelo Alviverde, o que pode acontecer até o fim da semana.

O Estado revelou que acordo entre as partes está costurado desde setembro, mas o Tricolor nunca assumiu a negociação publicamente. Como a relação com o rival piorou muito após a transferência de Alan Kardec, o São Paulo nunca quis admitir as conversas com o jogador e coube ao vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro a função de debelar o que eram tratadas como "especulações".

Acontece que Wesley não é desejo de Ataíde, mas do presidente Carlos Miguel Aidar, que desde a época em que era candidato falava informalmente no desejo de tirar o volante do Palmeiras. A briga com Nobre tornou a questão pessoal e desde então dificilmente deixa passar qualquer chance para estocar o desafeto. Tirar mais um jogador dá a impressão de uma superioridade sobre o rival. O vice não tratou das conversas, que passaram pelo presidente e pelo gerente de futebol, Gustavo Vieira.

Os empresários do jogador não confirmam o acerto e prometem uma conversa com o Palmeiras, que não pretende contar com ele. "Recebemos diversas consultas, mas nossa prioridade é primeiro conversar com o Palmeiras, resolver essa situação dele e depois vemos os próximos passos", despistou Antônio Bahia, um dos empresários de Wesley.

A saída do volante será muito menos traumática do que a de Kardec, já que ele vinha em má fase e era um dos alvos preferenciais das vaias da torcida nos últimos jogos. Contratado por R$21 milhões no sistema de crowdfunding (financiamento coletivo) em 2012, ele nunca conseguiu repetir as boas performances da época do Santos.

O São Paulo inclusive já pediu informações do comportamento do jogador a Kardec e ouviu boas referências. O atacante disse que Wesley não deve ter problemas de adaptação no grupo. Uma das preocupações era com a fama de desagregador e "paneleiro" que vinha do Palmeiras; improcedente, segundo seu ex-companheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.