São Paulo está preocupado com o Tachira

O São Paulo não teria, na teoria, grande dificuldade para passar pelo Deportivo Tachira, adversário desta quarta-feira, no Morumbi, pelas quartas-de-final da Copa Libertadores da América. Os venezuelanos não têm tradição no futebol - gostam mais de beisebol e basquete - e não contam com nenhum jogador de nome. Mas o clima no clube brasileiro é de precaução e pouco barulho.A comissão técnica está preocupada com a reação dos atletas do Tachira, que ficaram bastante irritados com algumas críticas que receberam nos últimos dias no Brasil. Os são-paulinos acreditam que eles vão tentar dar o troco em campo. "Eles estão motivados para fazer o jogo de suas vidas", apostou o técnico Cuca. Mesmo assim, quase 50 mil ingressos já foram vendidos para o confronto desta quarta-feira, a partir das 19h30, no Morumbi. A expectativa dos dirigentes é de mais de 65 mil pagantes.A indisposição entre venezuelanos e brasileiros teve início no fim de semana, quando o diário Lance! publicou reportagem na qual chamou os venezuelanos de "gordinhos" e acrescentou algumas declarações de componentes da comissão técnica são-paulina sobre o tema. Segundo a nota, o Tachira até parecia um time de futebol americano. Como forma de represália, a diretoria do clube proibiu, nesta terça-feira, que a imprensa do Brasil fizesse entrevista com seus jogadores. Os venezuelanos se acharam desrespeitados e deram ampla cobertura ao assunto por meio de seu site oficial. Os torcedores do Tachira, sensibilizados com a situação e animados com a fase da equipe, já compraram todas as entradas para a partida de volta, na próxima semana, em San Cristóbal.Apesar da disposição dos venezuelanos, é indiscutível que o São Paulo é favoritíssimo para avançar à semifinal, na qual poderá pegar o Santos. Embora ninguém comente abertamente no clube, a idéia é conseguir boa vantagem de gols - se possível uma goleada - para ir a San Cristóbal com tranqüilidade. "Mas precisamos entrar mais ligados do que no jogo contra o Rosario, quando sofremos um gol no início e quase nos complicamos", alertou Luís Fabiano, que retorna depois de ter sido poupado no fim de semana.Os são-paulinos encaram o jogo desta quarta-feira como uma decisão. As informações obtidas sobre as condições em San Cristóbal não foram nada animadoras. Por isso, o objetivo é matar o inimigo logo. "A torcida lá faz grande pressão, as dimensões do campo são pequenas, não será nada fácil", observou Marco Aurélio Cunha, superintendente de Futebol.Gabriel deverá voltar para a reserva e Grafite está confirmado no ataque. Diego Tardelli, reintegrado na segunda-feira, ficará no banco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.