São Paulo está revoltado, mas joga

O São Paulo enfrenta neste sábado o Figueirense pelo Campeonato Brasileiro. Só que a partida contra o time catarinense acabou ficando em segundo plano, por causa da indignação do técnico Emerson Leão com a CBF. O motivo da revolta foi a determinação da entidade de que a partida interrompida contra o São Caetano na quarta-feira por causa da morte do zagueiro Serginho seja complementada na próxima quarta-feira. Leão queria um outro jogo e não apenas completar os 31 minutos que faltaram.Não é só. Leão está irritado porque o São Paulo tem de jogar agora e o São Caetano teve sua partida com o Paraná adiada. Além disso, reclama da falta de instruções sobre como proceder diante do Azulão. "Quem tenho de escalar? Serão os mesmos jogadores de quarta-feira? Se for, o São Caetano vai jogar só com 10??, questiona. "E se diante do Figueirense eu perder atletas por contusão, o que vou fazer??A falta de respostas às suas dúvidas é o que mais tira Leão do sério. "As pessoas que podem, não fazem direito. Se não aceitam suspender a rodada, suspendem ao menos os jogos dos dois envolvidos. Mas estas feras só sabem ficar sentadas atrás das mesas, não são do ramo, nunca chutaram uma bola.?O treinador acredita que os 31 minutos não servirão para nada. Ele lembra que os jogadores levam cerca de 15 minutos para se aquecerem. "Aí, faltando 16 minutos para o fim, entra a preocupação com o resultado, a indecisão. Será que arrisco??, diz, cutucando a CBF. "A humildade é a maior das virtudes e eu acredito nela.?A CBF, porém, não deu a mínima importância à chiadeira de Leão e dos dirigentes do São Paulo, que também preferiram a marcação de outra partida. O diretor-técnico da entidade, Virgílio Elísio, afirmou que realizar novo jogo não seria correto. "Não fazemos acordo para privilegiar quem quer que seja. Eles estão se queixando porque seria mais conveniente jogar tudo de novo para fazer um gol que, até aquele momento, não tinha feito?, disparou.E as dúvidas de Leão sobre escalação e substituições? Elísio se vale dos artigos 14 e 15 do regulamento para esclarecer. "As partidas suspensas até o término do 29.º minuto do segundo tempo serão complementados, dela podendo participar os atletas relacionados na súmula, exceto os que nela tiverem sido expulsos ou que tenham sido substituídos.?Sobre cartões amarelos, o diretor da CBF disse que se algum jogador for suspenso por ter sido advertido com cartão, poderá atuar normalmente. Já sobre os contundidos, poderão ser substituídos. A dúvida que ainda persiste é se a substituição vai ser computada ou não.Neste sábado, contra o Figueirense, Leão decide minutos antes do início do jogo se escala Alê ou César Sampaio no meio-campo. A outra dúvida é entre Nildo, Jean e Diego Tardelli.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.