São Paulo estipula teto para ter Rivaldo

O São Paulo não está disposto a pagar mais do que US$ 80 mil mensais para contar com Rivaldo durante 2004. São valores altíssimos para o futebol brasileiro, mas muito fracos se comparados ao que se paga na Europa. Se aceitasse receber esse valor, Rivaldo trabalharia seis meses para receber o seu atual salário mensal no Milan.Essa posição será levada nesta terça-feira, pela diretoria do São Paulo, a Carlos Arini, procurador de Rivaldo, em uma reunião que se iniciará às 16 horas. Mesmo com a ajuda da Siemens e de outros patrocinadores do clube, o São Paulo considera impossível bancar um salário mensal de US$ 100 mil, por exemplo.Diretores consideram esse valor uma "loucura", que colocaria o clube em dificuldades. Argumentam que, mesmo o dinheiro vindo de patrocinadores, o São Paulo seria o avalista e não há vontade de se assumir esse risco.O São Paulo raciocina com dois parâmetros diferentes: ao mesmo tempo que sabe ser impossível concorrer com times estrangeiros, tem a certeza de que é o único clube brasileiro capaz de fazer uma boa oferta a Rivaldo. Em resumo, se o jogador quiser jogar no Brasil, não encontrará oferta melhor do que a que será apresentada nesta terça-feira.Tudo está nas mãos do jogador. Se "raciocinar em termos de reais", como dizem os diretores, acertará sua vinda para o São Paulo. "Gostaríamos de acertar tudo isso até dez de janeiro", diz o presidente Marcelo Portugal Gouvêa. "Gostaríamos de resolver antes do final do ano", diz Carlos Arini.O que o São Paulo proporá é o mesmo que foi feito quando Raí retornou ao clube. O clube pagaria um salário fixo ao jogador e "compraria" ainda o direito de negociar o uso de imagem. Com esse valor acertado, o São Paulo "venderia cotas de Rivaldo" a patrocinadores como a Siemens, Habib?s, Topper e Adidas, que patrocinam o São Paulo. Ou mesmo outras empresas que seriam convencidas a ter o jogador como "garoto propaganda". A favor do São Paulo há o fato de Rivaldo não ter recebido uma grande oferta da Europa, ainda. Ente o São Paulo e o Espanyol, último colocado do campeonato espanhol, que o procurou, Rivaldo voltaria ao Brasil.Além disso, o jogador tem muita vontade de disputar o Mundial de Tóquio, o que seria possível apenas vencendo a Libertadores da América ou a Liga dos Campeões e Rivaldo considera mais fácil vencer a Libertadores do que a Liga dos Campeões. Muito mais fácil, se levar em conta o fato de que ele não tem emprego garantido na Europa.Além de Rivaldo, o São Paulo começará a tratar também da vinda de mais dois jogadores: um volante e um atacante. O clube espera que Tinga consiga sua liberação do Grêmio para acertar um contrato com o jogador. Roberto, da Ponte, Túlio, do Botafogo, e Josué, do Goiás, são outras opções. Caio, do Paraná Clube, que era uma opção para o ataque, transferiu-se para a Coréia. O São Paulo espera por Marquinhos, que fará testes no Bayer Leverkusen no início do ano e pode negociar também com Dejair, que marcou 13 gols pelo Criciúma no Brasileiro-2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.