Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

São Paulo estreará no Brasileiro com portões fechados

Atual campeão brasileiro, o São Paulo, vai estrear no Nacional deste ano sem a presença de seus torcedores. O time perdeu um mando de campo e foi multado em R$ 10 mil pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) devido à invasão de campo do torcedor identificado como Cléber da Silva no empate sem gols com o Paraná, na última rodada da edição de 2006. O torcedor, na ocasião, entrou no gramado com uma faixa alusiva à conquista do tetracampeonato brasileiro. A sentença é definitiva, não cabe recurso.Com isso, o time de Muricy Ramalho vai jogar contra o Goiás, no dia 13 de maio, com portões fechados, mas no Morumbi. O time só jogará em casa graças a uma resolução da CBF divulgada no começo deste ano. Até 2006, o clube que perdia mando de campo deveria jogar em um estádio que não fosse seu ou no qual não costuma receber seus jogos.Apesar de a defesa do São Paulo alegar que o clube não possui ingerência sobre o campo do Paraná e, por isso, estava impedido de tomar providências para impedir uma invasão, os auditores do tribunal, por seis votos a três, optaram pela pena. Uma das principais alegações daqueles que decidiram pela sentença foi a de que esta teria o caráter pedagógico. O procurador do STJD, Paulo Schmitt, chegou a comparar a invasão do torcedor ao episódio em que a tenista sérvia naturalizada norte americana Monica Seles foi esfaqueada pelas costas por um fanático, durante a semifinal do Torneio Citizen Cup de Hamburgo, em 1993. ?Ninguém sabe o que um torcedor pode fazer. Esse entrou em campo com uma faixa. Mas poderia ter entrado para atacar um jogador, dar uma facada como já aconteceu no tênis?, destacou o procurador do STJD. ?E deixar de punir seria abrir um precedente perigoso e um incentivo às invasões.?LenílsonO São Paulo entrou com um recurso no STJD para que metadeda pena de quatro meses de suspensão do meia-atacante Lenílson seja convertida em prestação de serviços - doação de cestas básicas. Neste sábado, o jogador terá cumprido 60dias da punição, imposta no dia 21 de novembro, pela 2ª Comissão Disciplinar e terá direito ao benefício.Lenílson foi punido após agredir André Oliveira, do Santos, no clássico do dia 5 de novembro, na Vila Belmiro. Na ocasião,O são-paulino não chegou a ser expulso, mas foi denunciado pelaprocuradoria após análise das imagens de TV. Logo após o lance da agressão, o meia deu o passe para o volante Mineiro fazer o gol da vitória tricolor por 1 a 0.

Agencia Estado,

18 de janeiro de 2007 | 18h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.