São Paulo estuda proposta por Kaká

A diretoria do São Paulo vem fazendo reuniões nos últimos dias, inclusive com a presença de conselheiros, para estudar uma proposta que, a princípio, não considerou satisfatória para vender Kaká: cerca de US$ 6,5 milhões, bem menos do que se especulava. Os dirigentes se encontraram na quarta-feira e anteontem com Wagner Ribeiro, procurador do jogador, no Morumbi. De acordo com pessoas ligadas à cúpula tricolor, Wagner Ribeiro levou essa oferta do Milan, da Itália, pelo meia e o valor não agradou. O presidente Marcelo Portugal Gouvêa teria dito que a negociação é ?inviável?.Mesmo assim, ainda não a descartou totalmente, embora esperasse pelo menos US$ 10 milhões para iniciar qualquer conversa. Como a situação financeira do clube não é tão confortável, o São Paulo vai analisá-la antes de dar uma resposta. Caso a negociação seja concretizada, as partes discutirão a data da apresentação de Kaká. Existe a possibilidade de ele ir agora para o Milan e ser emprestado para outra agremiação da Europa. Marcelo Portugal Gouvêa e Juvenal Juvêncio, diretor de futebol, têm receio em liberar o atleta. Acreditam que podem receber proposta melhor e temem pela pressão dos torcedores. Por outro lado, viram que o time pode conseguir bons resultados sem o meia.

Agencia Estado,

26 de julho de 2003 | 10h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.