São Paulo evita euforia contra Ituano

Ainda no gramado do estádio Novelli Junior, em Itu, o técnico do São Paulo, Oswaldo de Oliveira, fez questão de reprimir qualquer comemoração e euforia de seus jogadores. O objetivo é evitar o clima de "já ganhou" após o empate por 2 a 2, neste domingo, que era o resultado planejado pelo técnico para este primeiro jogo. O segundo e decisivo acontecerá no Morumbi, quinta-feira à tarde. E uma vitória simples dará o Tricolor o título do Superpaulistão.Caso haja outro empate no segundo jogo, então o título será decidido na cobrança de penalidades máximas. Ao contrário do torneio Rio-São Paulo, não será usado o número de cartões como critério de desempate. "Não podemos nos empolgar, mesmo porque ainda falta um outro jogo e devemos respeitar o adversário", resumiu Oliveira. Ele reconheceu que o time não teve uma boa atuação no primeiro tempo. "Não tivemos a posse de bola e também falhamos muita na marcação das laterais". No intervalo ele consertou o posicionamento, principalmente encostando Rafael em cima do lateral-esquerdo Lúcio, o jogador mais perigoso do Ituano.Mas será difícil segurar o entusiasmo dos jogadores. Gustavo Nery reclamou por ter levado o segundo cartão amarelo, que o tirou da final. "Mas o time tem condições de vencer e ficar com o título", completou. O atacante Reinaldo também não escondeu a satisfação pelo resultado, enaltecendo ainda as qualidades do goleiro André Luiz: "Ele defendeu um chute do Emerson que eu não acreditei".Outro lado - Do lado do Ituano, muitas lamentações pelo empate no final. "Aquele gol foi um balde de água fria em cima da gente", disse o atacante Basílio, artilheiro do Superpaulistão, com três gols. O técnico Ademir Fonseca não aceitou as críticas de que teria recuado o time no segundo tempo. "Os méritos são do são Paulo, que diminuiu os espaços e nos deixou em situação difícil. Demoramos para encontrar a saída e buscar os gols nos contra-ataques", resumiu.O volante Pierre, com dois amarelos, vai desfalcar o time na final, quando Everaldo, que cumpriu suspensão, poderá voltar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.