Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

São Paulo faz 3 a 0 no Ceará e avança às oitavas da Copa Sul-Americana

Mesmo com dificuldade para romper a defesa do adversário, time tricolor garante vaga

Demétrio Vecchioli, Agência Estado

24 de agosto de 2011 | 23h39

SÃO PAULO - Com maior volume de jogo durante toda a partida, demorou para o São Paulo conseguiu furar a defesa do Ceará, que jogava pelo empate no Morumbi. Só conseguiu quando passou a atuar com um centroavante: o mesmo Cícero que foi responsável pela última vitória do time, sobre o Avaí, há 17 dias. Depois, ficou fácil para o time tricolor fazer 3 a 0, encerrar um jejum de quatro partidas sem vencer e se classificar às oitavas de final da Copa Sul-Americana, ganhando moral na véspera do clássico contra o Santos, domingo, na Vila Belmiro, na última rodada do primeiro turno do Brasileirão.

Pela Sul-Americana, o São Paulo só volta a jogar em outubro. O adversário sairá do confronto entre Libertad e o vencedor do jogo entre Juan Aurich (Peru) e La Equidad (Colômbia).

Por conta da eliminação, o Ceará perde a chance de jogar a primeira partida oficial de sua história contra um time estrangeiro. Tem que se dedicar exclusivamente ao Brasileirão. O próximo compromisso é contra o Bahia, domingo, em Fortaleza.

O JOGO

Com a volta de Casemiro após servir à seleção sub-20, Adilson Batista resolveu voltar à formação com três volantes, sacando Rivaldo do time. João Filipe ganhou a posição de Xandão na zaga e Fernandinho foi mantido no ataque ao lado de Dagoberto. O meio-campo marcador deu a posse de bola ao São Paulo em todo o primeiro tempo, mas faltava qualidade no passe.

Em relação às partidas anteriores, o time mostrou-se mais motivado, mas continuava pecando demais ao chegar perto da entrada da área. Tanto que, apesar de ter considerável volume de jogo, não conseguiu dar mais do que dois chutes a gol: um de Juan, logo nos primeiros minutos, e outro de Fernandinho, aos 23, mas ambos passaram à direita do gol de Diego.

Além disso, o São Paulo poderia ter chegado ao gol em outras duas oportunidades. Em uma delas, Dagoberto sofreu o tranco na área e caiu. O árbitro não só não deu o pênalti como mostrou o amarelo para o atacante. Mais tarde, Cícero, que entrou no lugar do machucado Fernandinho, chegou a driblar o goleiro, mas o lance estava parado por um impedimento polêmico.

Parando na boa defesa formada por João Filipe e Rhodolfo, o Ceará fez menos ainda. Mal invadiu a área de Rogério Ceni no primeiro tempo. Renunciou a jogar para marcar.

O segundo tempo começou com o São Paulo mais perigoso. A primeira oportunidade foi de Casemiro, de cabeça. Depois, Cícero bateu falta ensaiada de longe e Diego fez sua primeira boa defesa. Na terceira chance, aos 10 minutos, quando a torcida já clamava por Rivaldo, Carlinhos cruzou, Cícero dominou no peito e bateu sem chances para o goleiro.

Quando o Ceará decidiu tentar atacar, o São Paulo matou o jogo. Dagoberto tentou jogada individual e perdeu a bola na entrada da área. Casemiro recuperou na sequência e tocou para Lucas, que chutou de longe, no canto direito baixo de Diego. Gol para afastar a má fase do meia, que até se emocionou na comemoração.

Com a defesa do Ceará escancarada, ficou fácil. Lucas puxou contra-ataque e tocou para Dagoberto na esquerda da área. O atacante dominou mal, mas conseguiu ainda chegar na bola, bater firme e fazer o terceiro.

O quarto gol poderia ter saído num passe de Cícero para Dagoberto, em que o atacante tentou encobrir Diego, mas Egídio tirou com a mão no meio do caminho. Marcelo de Lima Henrique ignorou o pênalti claro. Em outra chance de Dagoberto, ele dominou bonito na área, cortou o marcador e tentou fazer de cavadinha. Diego salvou.

FICHA TÉCNICA

São Paulo 3 x 0 Ceará

São Paulo - Rogério Ceni; Piris, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Casemiro (Jean), Wellington, Carlinhos e Lucas (Rivaldo); Fernandinho (Cícero) e Fernandinho. Técnico - Adilson Batista.

Ceará - Diego; Boiadeiro (Felipe Azevedo), Fabrício, Anderson Luis e Egídio; Edmilson (Roger), Heleno, Michel e Osvaldo; Thiago Humberto (Eusébio) e Marcelo Nicácio. Técnico - Vagner Mancini.

Gols - Cícero, aos 10, Lucas, aos 16, e Dagoberto, aos 19 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Marcelo de Lima Henrique (RJ).

Cartões amarelos - Dagoberto, Edmilson e Heleno.

Renda - R$ 319.440,00.

Público - 23.344 pagantes.

Local - Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.