São Paulo faz 3 no Vasco e fica perto da semifinal da Copa do Brasil

Agora não restam dúvidas de que a Copa do Brasil vai virar a prioridade no São Paulo. Ao bater o Vasco por 3 a 0, no Morumbi, na noite desta quarta-feira, o time construiu uma ótima vantagem para a partida de volta, encaminhou a classificação à semifinal e amenizou as críticas da torcida após resultados fracos dentro de casa.

CIRO CAMPOS, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2015 | 00h13

A disputa pelo título inédito em sua história ganhou forças graças à superioridade técnica do time. O frágil Vasco não aproveitou as chances que teve quando o São Paulo diminuiu o ritmo e vai precisar fazer quatro gols em São Januário, na semana que vem, para reverter.

Pela expectativa que o São Paulo criou, o placar e a atuação ficaram um pouco abaixo. Ficou a impressão de que a goleada poderia ter vindo caso o time não tivesse no segundo tempo optado por se poupar e deixar o Vasco dar trabalho.

Mais gols poderiam ter saído porque Osorio tinha a força máxima à disposição, deu descanso às principais peças e viu em campo um começo avassalador. Pelo menos as vaias da torcida por tropeços recentes devem demorar a voltar depois da equipe apresentar em casa no menos no primeiro tempo a atuação mais convincente deste segundo semestre.

O time começou na pressão, só que seria preciso martelar um bocado até a muralha vascaína ceder. Foi a defesa adversária começar a ruir para o time do Morumbi construir a vantagem com facilidade.

O Vasco abdicou de atacar e não tinha saída de bola, dois pecados mortais para quem joga fora de casa em mata-mata. A postura atraiu o adversário para ficar à espreita perto do seu gol e por 26 minutos a equipe suportou os cruzamentos vindos da meia direita do São Paulo, até a equipe mandante resolver mudar de estratégia e abrir o placar.

Pato fez jogada individual, conduziu até o meio e chutou forte. A bola entrou no ângulo em um belo lance, que valeu ao São Paulo o 3000º gol na história do Morumbi.

A desvantagem deixou o Vasco ainda mais perdido em campo. O São Paulo manteve o ritmo, chegava ao ataque com fluidez e Ganso deu belo passe para Luis Fabiano. Após dividida com Martín Silva, a bola sobrou para Pato e ele fez 2 a 0 ainda no primeiro tempo.

Até o intervalo a torcida por pouco não comemorou o terceiro gol, com Michel Bastos, e ainda se divertiu com uma furada bisonha do volante Serginho, que errou sozinho uma tentativa de virada de jogo.

Em circunstâncias como essas, um intervalo poderia esfriar o ânimo do São Paulo e de fato isso ocorreu. O time até perdeu uma chance clara com Luis Fabiano no começo do segundo tempo, mas tamanha era a fragilidade do Vasco que houve um relaxamento.

Ao parar de agredir e se acomodar, a equipe deu espaços e deixou o adversário começar a rondar a área e começar a acreditar que poderia diminuir. As substituições dos técnicos tiveram impactos distintos. O Vasco pode melhorar a armação e chegar mais ao ataque, enquanto o São Paulo ficou mais conservador e burocrático.

Só que a qualidade técnica voltou a pesar e mesmo em um segundo modorrento, o time da casa voltou a marcar. Wilder cruzou para Luis Fabiano marcar de cabeça, aos 30 minutos.

SUSTO - Pouco depois o atacante saiu de campo direto para o hospital. Segundo o médico do São Paulo, José Sanches, o jogador caiu de peito no gramado e como sentiu um desconforto e fora de ar, precisava ser avaliado em um hospital.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 x 0 VASCO

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Bruno (Wesley), Rodrigo Caio, Lucão e Carlinhos (Reinaldo); Breno, Thiago Mendes, Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos; Alexandre Pato (Wilder) e Luis Fabiano. Técnico: Juan Carlos Osorio.

VASCO - Martín Silva; Madson, Rodrigo, Luan e Julio Cesar; Serginho, Bruno Gallo (Thalles), Rafael Vaz (Julio dos Santos), Andrezinho e Nenê; Herrera (Riascos). Técnico: Jorginho.

GOLS - Alexandre Pato, aos 26 e aos 36 minutos do primeiro tempo; Luis Fabiano, aos 30 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Martín Silva e Rodrigo (Vasco).

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

RENDA - R$ 733.059,00.

PÚBLICO - 23.326 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.