J. F. Diório/Estadão
J. F. Diório/Estadão

São Paulo faz as contas e vê San Lorenzo como principal rival

Equipe crê que vitória contra o Danubio deve fazer time depender apenas de si em briga com argentinos pela segunda vaga em chave

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2015 | 07h00

Começar no grupo da morte da Libertadores com derrota obriga o São Paulo a já calcular o que será necessário fazer para se classificar às oitavas de final. Pela projeção do time, vencer o Danubio, na próxima quarta-feira, no Morumbi, é suficiente para começar a encaminhar a vaga e não depender de outros resultados na briga com o San Lorenzo, o mais provável concorrente direto.

Segundo o goleiro Rogério Ceni, caso o Tricolor bata a equipe uruguaia, vai mais tranquilo para uma sequência decisiva de dois jogos contra a equipe argentina. "Podemos ter um torneio eliminatório, praticamente um mata-mata antes da hora, entre São Paulo e São Lorenzo nos dois jogos que faremos contra eles", disse o capitão. O atual campeão da Libertadores enfrenta o time do Morumbi em São Paulo no dia 18 e logo depois volta a enfrentar o adversário em Buenos Aires.

A cobrança para vencer o Danubio é grande porque as duas equipes perderam na primeira rodada. "Cabe a gente fazer os três pontos. Se não conseguirmos, já temos que começar a pensar em milagres e, infelizmente, eles não acontecem sempre", explicou. Na última participação em Libertadores, em 2013, o São Paulo só avançou ao mata-mata graças a uma combinação de resultados na rodada final. O Tricolor teve na ocasião a pior campanha entre os 16 mais bem classificados.

Pelo menos a equipe já conseguiu recuperar parte da confiança depois da derrota por 2 a 0 para o Corinthians, em atuação muito ruim. Ao ganhar de 4 a 0 do Osasco Audax, sábado, pelo Campeonato Paulista, o time pode iniciar a reagir, embora tenha sido difícil esquecer, mesmo com a goleada, a obrigação de ir bem na Libertadores. "A gente quer que quarta-feira chegue logo para a gente dar a volta por cima", contou Luis Fabiano.

Contra o Danubio, o São Paulo deve ter o retorno de Ganso, que pediu para não jogar no último sábado. De acordo com o técnico Muricy Ramalho, a expectativa é que Tricolor vai ter dificuldade para enfrentar a retranca uruguaia. "Eles são um time chato. Eram cotados como time o 'patinho feio' do gripo, mas marcam duro. Vamos precisar ter muita paciência nesse jogo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.