São Paulo faz parceria com Manchester

O São Paulo anunciou nesta terça-feira o acerto de uma parceria com o poderoso Manchester United, da Inglaterra, com o qual poderá fazer intercâmbio de jogadores. Um dos objetivos é aumentar a divulgação do nome do clube brasileiro na Europa, dando seqüência ao projeto de internacionalização do São Paulo, que, há quase 10 anos, anda sumido das competições de repercussão mundial.A ausência na Copa da Paz, na Coréia do Sul, neste mês, foi um duro golpe no plano são-paulino. Além do clube ter perdido a oportunidade de brigar por US$ 2 milhões, desperdiçou a chance de mostrar a equipe na Ásia e em outros continentes, pois haverá exibição dos jogos por tevê para vários países. A participação no torneio era uma das etapas desse projeto de marketing.A parceria com o Manchester praticamente não resultará na entrada de dinheiro nem na contratação de astros ingleses. Poderá, porém, ajudar na assinatura de futuros contratos de patrocínio e na transferência de técnicas e equipamentos para treinamento. "Essa parceria certamente nos trará grandes avanços, nos ajudará a continuar com nossa tradição de construir grandes equipes, tanto no profissional quanto nas categorias de base", declarou o presidente Marcelo Portugal Gouvêa, por meio do site oficial do clube.As negociações vinham ocorrendo desde o fim do ano passado e o primeiro sinal de que a parceria já vem sendo posta em prática foi a transferência do jogador Carlos Eduardo de Castro Lourenço para a Inglaterra. Ele vinha defendendo o time Sub-17 do São Paulo. "Enxergamos bastante potencial para o desenvolvimento de projetos coordenados com o São Paulo", comentou Les Kershaw, diretor do Manchester, que fez acordo nos mesmos moldes com o Sporting, de Lisboa.Não está, por enquanto, prevista nenhuma transação de atletas profissionais, embora Kaká atraia interesse do futebol inglês. O Manchester é um dos que gostariam de contar com o meia. Alguns detalhes, no entanto, praticamente acabam com as possibilidades de Kaká ir para a Inglaterra em 2003. Ele não tem passaporte comunitário e não esteve presente em 75% das convocações para jogos oficiais da seleção nos últimos dois anos, que é uma exigência da Liga Inglesa para estrangeiros.

Agencia Estado,

08 de julho de 2003 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.