São Paulo: fim do sonho de trazer Rivaldo

O São Paulo pediu até a ajuda de Kaká e Cafu para tentar contratar Rivaldo. Os dois ex-são-paulinos e companheiros do meia no Milan lhe falaram sobre a boa estrutura do clube paulista, as condições de trabalho... Pela manhã, Eduardo Morato, diretor executivo de Marketing, reuniu-se com executivos da Topper, fornecedora da camisa da equipe. Já havia falado com dirigentes do Habib?s anteriormente. O clube, confiante, buscava um pool de empresas para bancar o salário do craque. E contava com sua boa vontade para não pedir valor tão elevado. No fim da tarde, porém, após reunião com Carlos Arini, procurador do atleta, a confiança dos são-paulinos despencou e Juvenal Juvêncio, diretor de Futebol, garantiu que a negociação estava descartada. "Temos de acabar com isso, não há nenhuma chance de o Rivaldo ser contratado, o São Paulo tem responsabilidade e não vai pagar acima do que pode."Ao contrário do que imaginava, o Departamento de Marketing não conseguiu encontrar investidores para garantir os vencimentos de Rivaldo. Ele não aceita receber menos de R$ 300 mil mensais e as empresas não parecem dispostas a gastar tanto. A Siemens, que oferecia cerca de R$ 8 milhões por ano para ser a patrocinadora da camisa do time e prometia fazer esforço para trazer um craque ao Morumbi, recuou. Não se considerou apta para pagar o salário do jogador sem nenhuma ajuda. "O São Paulo falou em projeto, mas não apresentou uma proposta concreta, com números", contou Arini. "Temos outras três propostas de clubes do Brasil." O Cruzeiro é um deles e o Palmeiras também está na briga.Como a novela não terminou e o destino de Rivaldo não foi definido, há, entre os são-paulinos, quem ainda sonhe com sua chegada. Mas a maioria já jogou a toalha. "Ele é ótimo, titular da seleção brasileira, mas o futebol brasileiro não tem recursos para contratá-lo", acrescentou Juvêncio.Leilão - Este fim de ano vem sendo marcado por uma série de reviravoltas no Morumbi. Outra novela, que parecia terminada, ganhou novos capítulos. A Siemens, que estava praticamente fechada com o São Paulo, pode ficar sem a vaga de patrocinadora da equipe. É que a LG, multinacional sul-coreana, parceira desde 2001, fez nova e tentadora proposta na noite de segunda-feira e balançou a diretoria.A empresa de eletroeletrônicos aceita pagar pouco mais de R$ 9 milhões por cada um dos dois anos de contrato, cerca de R$ 1 milhão a mais que os concorrentes, e passou a ter boas chances de ter o vínculo renovado.A definição do novo patrocinador deve ocorrer nos próximos dias. No início de 2004, a direção vai fazer as últimas contratações para fechar o elenco. Um volante e um atacante devem chegar. "Mas não será nada bombástico", alertou Juvêncio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.