Eduardo Valente
Eduardo Valente

São Paulo ganha do Figueirense e volta ao G-4 do Brasileirão

Tricolor é premiado pela sequência de boas atuações com resultado

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 Agosto 2015 | 00h00

Nove rodadas depois o São Paulo está de volta ao G-4 do Campeonato Brasileiro. A equipe deixou no passado  os problemas defensivos, a falta de pontaria e o baixo aproveitamento fora de casa para construir uma vitória tranquila por 2 a 0 sobre o Figueirense, no Orlando Scarpelli. O salto de cinco posições na tabela leva o São Paulo para a terceira colocação. A combinação de resultados propiciou a escalada e foi  uma espécie de prêmio atrasado para as boas atuações recentes.

Se contra Atlético-MG e Corinthians o time exagerou nas chances perdidas e acabou punido por vacilos defensivos, em Florianópolis valeu a eficiência aliada ao domínio do jogo para garantir a vitória.

É bem verdade que o Figueirense é bem mais frágil que os dois adversários alvinegros anteriores. A equipe está na últimas posições e exemplificou o desnível existente entre os blocos da tabela de classificação. Apesar desse contraponto, o resultado é de suma importância para encaminhar o time do Morumbi a terminar em alta o primeiro turno. Na rodada final, recebe o  Goiás, que luta contra o rebaixamento.

Osorio armou o São Paulo em Florianópolis no 4-4-2 em vez do sistema com três defensores. A surpresa foi a  escalação do lateral Auro para a vaga do meia Michel Bastos, poupado. A opção se mostrou útil para dar força pelo lado direito, onde além do jogador, Thiago Mendes  fechava os espaços e fazia ultrapassagens para avançar até a linha de fundo.

A formação deixou a equipe mais compacta e a defesa menos exposta. O primeiro chute que exigiu trabalho de Rogério Ceni foi só no segundo tempo. A equipe teve o controle das ações e passou longe de ser pressionada. A recompensa pela atuação rendeu um gol logo aos 13 minutos. O São Paulo virou o jogo até o lado esquerdo e Ganso deu belo passe para Pato chutar rasteiro e de primeira.

Logo depois o time viveu um momento parecido ao do último domingo, no clássico com o Corinthians. Titular pela primeira vez, Breno chutou e a bola bateu no braço de Marcão. Dessa vez o árbitro marcou pênalti e o goleiro Rogério Ceni converteu para marcar pela 130ª vez na carreira.

A desvantagem levou o Figueirense a mexer ainda no primeiro tempo, ao colocar o veterano meia Carlos Alberto, mas nada que resultasse em grande mudança. O limitado time jogava com pouca presença da torcida e passou a levar mais perigo quando ficou com um jogador a mais em campo.

O zagueiro Luiz Eduardo deu uma entrada dura e levou o cartão vermelho direto aos 32 minutos do segundo tempo. Como o São Paulo já havia feito as três substituições, o Figueirense se jogou ao ataque e assustou em bolas aéreas.

O São Paulo administrou o ritmo no segundo tempo e Osorio optou por mudar bastante a formação tática, com alterações inusitadas. O lateral Carlinhos virou ponta ao entrar na vaga de Luis Fabiano, Reinaldo atuou improvisado na zaga depois da expulsão e antes lateral, Thiago Mendes terminou como volante, sua posição de origem.

A protocolar etapa final fez o São Paulo terminar a partida confiante, como se estivesse no ponto alto do sobe e desce que vive na competição. O desafio será manter o equilíbrio para acabar com a irregularidade que tanto afeta a equipe e a impede de buscar objetivos mais altos no Brasileiro.

FICHA TÉCNICA

FIGUEIRENSE - Alex; Leandro Silva, Marquinhos (Bruno Alves), Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso (Sueliton); Paulo Roberto, Fabinho (Carlos Alberto), João Vitor e Rafael Bastos; Clayton e Marcão. Técnico: Argel Fucks.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Thiago Mendes, Rafael Toloi, Luiz Eduardo e Reinaldo; Breno (Bruno), Wesley (Hudson), Auro e Ganso; Luis Fabiano (Carlinhos) e Alexandre Pato. Técnico: Juan Carlos Osorio.

GOLS - Pato, aos 14, e Rogério Ceni, aos 26 minutos do 1º tempo.

JUIZ - Anderson Daronco (RS)

CARTÕES AMARELOS - Wesley, Luis Fabiano, Marquinhos, Breno, Clayton, Hudson, Bruno Alves.

CARTÃO VERMELHO - Luiz Eduardo.

RENDA - R$ 230.980,00.

PÚBLICO - 10.301 pagantes.

LOCAL - Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.